Você Nunca Conseguirá Comprar Fãs (Então Por Que Uns Músicos Continuam Tentando?)

Não pague por falsos amigos, falsos seguidores ou falsas tocadas de sua música

Não, não estou tendo um flashback ruim com o que acontecia no MySpace; as pessoas AINDA estão tentando comprar sua subida ao estrelato — um clique de cada vez.

Not_facebook_dislike_thumbs_downNão pague por falsos amigos, falsos seguidores ou falsas tocadas de sua música

Não, não estou tendo um flashback ruim com o que acontecia no MySpace; as pessoas AINDA estão tentando comprar sua subida ao estrelato — um clique de cada vez.

Uma matéria recente da Digital Music News chamada “$10 = 100,000 Fake SoundCloud Plays…” (US$ 10 = 100.000 Falsos Plays no SoundCloud) ilustra como é fácil pagar para alguém ouvir seu sum, ver seus vídeos, favoritar seu conteúdo, comentar suas mídias sociais e seguir ou se inscrever nos seus vários canais (SoundCloud, YouTube, Twitter etc.)

Mas todas essas ouvidas, cliques e views não significam FÃS, então por que músicos continuam usando essa tática? 

Simples: eles acreditam que números inflacionados vão impressionar as pessoas. Que pessoas? Bom, acho que é aí que os motivos dos artistas diferem. Pode ser selos de gravadoras, agenciadores de shows, gerentes, os colegas músicos, amigos… ou até eles mesmos (sim, é mais comum se enganar do que você imagina).

Mas, quer eles sejam motivados pela insegurança, pela ambição ou por outro fatos — pagar por fãs me parece uma ação desesperada nascido de um equívoco sobre como uma banda pode fazer sucesso num contexto em que gravadoras perderam muito de sua importância.

Quando uma banda cria algo de valor (músicas, vídeos, comunidades ou conexões), você pode ver como sua repercussão vai se construindo com a evolução de suas redes sociais. É uma trajetória lógica. Quanto mais você se conecta de verdade com os ouvintes, maior sua chance de virar tendência on-line: cobertura por blogs, melhores oportunidades de shows e de turnês, e mais lucro com venda de músicas e com acessos no YouTube vão ajudar sua carreira a se sustentar a longo prazo.

Fãs falsos não enganam ninguém

Agora, vamos pensar na situação inversa: você comprou 5 milhões de tocadas da sua música no SoundCloud. Bom, então por que nunca ouvi falar de você? Por que você não está se apresentando no horário nobre da TV ou pelo menos fazendo turnês fora do Estado onde nasceu?

Como seu vídeo no YouTube foi visto 700.000 vezes, mas eu nunca vi nenhum dos meus amigos (a maioria deles fissurados em música) compartilhar o tel vídeo no Facebook ou no Twitter?

É óbvio o moral da história: invista seu tempo e verba de marketing em algo que vai te ajudar a ter fãs de verdade. Por exemplo, se você ia gastar US$ 100 inflando o número de pessoas que te escutou no SoundCloud, use essa mesma grana para imprimir releases bonitos, em papel decente, e mande 10 CDs seus para blogueiros de música que curtam seu tipo de som e que possam gostar do seu.

Pode ser que o retorno seja menor numericamente, mas você terá a oportunidade de fazer fãs de verdade — do tipo que vão dizer a seus amigos, também de verdade, sobre sua música que vão pagar (dinheiro de verdade!) para ver um show seu, comprar seus produtos e te ajuda quando fizer uma campanha de crowdfunding.

O que você acha de comprar cliques, visualizações e ouvidas? Você já cometeu esse pecado no passado (fala a verdade!)? O que te fez achar que precisava fazê-lo? Deixa eu saber o que você pensa no campo de comentários, aqui embaixo.

 

[ hana-code-insert ] 'Twitter Guide' is not found

2 Comentários

  1. pgapereira@hotmail.com'
    by Paulo Gomes on Janeiro 13, 2014  23:52 Responder

    A dificuldade de se promover nas mídias é muito grande. Por exemplo, o Youtube não respeita a divisão entre música, vídeo de música e pegadinhas, todos estão juntos. Errado. A data em que você fez o upload da música ou vídeo devia ser exporta na página principal por um certo tempo. O gênero da música não é pesquisada. No Facebook não existe contador de players. Twittle não funciona para músicas. MySpace tem contador e funciona, tua música vai ser ouvida por outros.E quanto aos songwriters que fazem música por computador, onde eles se encaixam?

  2. taxbandbrasil@gmail.com'
    by Hélio on Janeiro 15, 2014  12:18 Responder

    Sim, já contratei um divulgador pago, sendo que só depois fiquei sabendo que era falso. Infelizmente certos aprendizados tem ônus e as vezes podem custar caro.
    A minha experiência com o CDBABY é, aparentemente, positiva embora o retorno que eu tenho obtido é irrisório, pois em mais de um ano não cheguei a vender 1 dólar. É importante mencionar que eu não fiz as divulgações corretas para as minhas músicas.
    As sugestões e orientações do CDBABY me parecem ser muito úteis e com boas possibilidades de retorno. Pretendo me dedicar mais ao trabalho de divulgação conforme as orientações do CDBABY, para aplicação em meu novo CD que quero lançar no primeiro semestre deste ano de 2014. Muito obrigado pelas suas orientações e atenção.
    Hélio Santos. - TAXBAND.

Comente

Seus email não será publicado.