Um guia de conteúdo de marketing para músicos

O nome “marketing de conteúdo” pode assustar, mas a gente garante que você já faz isso (este post, por exemplo, é marketing de conteúdo). Um guia para você ganhar pontos na carreira com essa técnica de divulgação

Um guia de conteúdo de marketing para músicos

Por Dave Kusek

“Marketing de conteúdo” pode não parecer a expressão mais divertida do mundo, mas ele funciona, e muitos músicos independentes bem-sucedidos usam (mesmo sem saber).

Eu sei que muitos músicos não ficam muito confortáveis com a ideia de divulgar sua própria música. Pode parecer presunçoso ficar falando do próprio produto. Há muitos jeitos de chamar a atenção para a sua música, produtos da sua banda, mailing e shows. Dá para fazer tudo isso antes de ter que postar “Compre minha música!” nas redes sociais.

Então hoje vamos falar sobre de um dos jeitos mais eficientes de fazer marketing da sua música: o marketing de conteúdo.

Eu sei “marketing de conteúdo” não parece ser a coisa mais divertida para estrelas do rock em ascensão. Mas funciona e a maioria dos músicos independentes estão usando a estratégia do marketing de  conteúdo (mesmo que eles não saibam).

O que é marketing de conteúdo?

Na sua essência, marketing de conteúdo é uma mudança leve na sua lógica. Em vez de empurrar sua música garganta abaixo, você vai ter de seduzir seus fãs com conteúdo interessante, e fazer com que eles queiram te ouvir. A gente chama isso de “marketing de atração.”

Ler esse blog é marketing de conteúdo. O marketing de conteúdo usa conteúdo de valor e de interesse para atrair e manter seu público por perto, e uma hora transformá-los em apoiadores ou clientes.

Por exemplo: em vez de postar “Confira minha nova música!” no Facebook com um link para o seu som no CD Baby, lance um vídeo curto contando aos seus fãs o significado de algumas letras e com um link para eles encomendarem na pré-venda. Você vai prender a atenção deles com algo valioso, e depois fazer uma oferta.

Em vez de encher de spam a caixa de correios de todo mundo, avisando que vai lançar um álbum, crie um vlog no YouTube documentando o processo criativo do álbum com links visíveis de onde a pessoa pode encomendá-lo na pré-venda. Lance esses vídeos uma semana antes do álbum, o que vai fazer aumentar a expectativa (e as vendas). A banda Mastodon fez isso muito bem, com uma série de vídeos em 12 partes para o lançamento do álbum Emperor of Sand.

Em vez de apenas pedir que os fãs se inscrevam no seu mailing, ofereça aulas em vídeo para quem quiser fazer parte do seu mailing.

Não dá para ficar gritando mais alto

Não faz muito tempo que o marketing de música era basicamente tentar passar uma mensagem gastando muito dinheiro para ela chegar ao maior número possível de pessoas, na esperança de que muitos fossem morder a isca. Artistas com grandes gravadoras por trás conseguiam ter algum sucesso porque tinham essa estrutura.

Mas no mundo de hoje, dominado pelas mídias sociais, essa tática não funciona mais, especialmente porque um artista independente tem um orçamento de marketing mínimo. Não dá para você ficar gritando o mais alto o possível.

É claro que anúncios simples e objetivos sempre terão lugar no mundo da divulgação. Mas você não quer basear sua estratégia toda em gritas com os fãs. Em vez disso, transforme a divulgação em um diálogo, seduza as pessoas, e elas ficarão muito mais interessadas.

Use conteúdo para achar seus fãs de verdade

É importante que você entenda que não é necessário chegar  a todo mundo quando está divulgando sua música.

É fácil se deixar seduzir por números astronômicos de seguidores, é claro. Mas seguidores que você tenha no Facebook ou no Twitter são só isso: um número. Ter pessoas no seu mailing ou te seguindo nas mídias sociais, mas que não gostem de verdade da sua música, não vai fazer sua carreira andar para a frente.

É essencial que o conteúdo que você compartilhe encontre a pessoa certa, fãs que vão de fato comprar sua música, ir aos shows, te ajudar.

Tenha sempre na mente um fã ideal quando for criar posts, vídeos ou eventos. O que eles vão querer ver? (Dica: se tiver em dúvida, pergunte para eles!)

Exemplo: digamos que você sabe que muitos dos seus fãs são músicos. Eles podem querer ver tutoriais, resenhas de equipamentos e vídeos ensinando a tocar sua música. É claro que isso pode não funcionar para todo mundo, mas bandas como Scale the Summit usam vídeos de tutorial e têm bons resultados. Deadmau5 se deu bem transmitindo ao vivo, por streaming, suas sessões de composição.

Por que marketing de conteúdo funciona tão bem

Eu quero pensar em como você se engaja com algumas das bandas e músicos que segue nas mídias sociais.

Que álbum você tenderia mais a comprar?

  1. Um álbum de um artista que só postou sobre o lançamento depois que o álbum já havia sido lançado.
  2. Um álbum de um artista que posta um episódio por semana de uma série que documenta o processo de criação desse álbum.

Presumindo que ambos tivessem música boa, a maioria das pessoas penderia a comprar o segundo.

O segredo é apresentar seu conteúdo como entretenimento. Quem não ficaria interessado em ver o que rola dentro de um estúdio? E, depois de passar um bom tempo vendo sua série, o fã vai se sentir fazendo parte do projeto, tanto da perspectiva emocional quanto do tempo que dedicou.

Use “calls to action” relevantes

Agora que você sabe que não dá para ganhar dinheiro apenas distribuindo conteúdo bom de graça, é aqui que você coloca as “call to action”.

Uma “call to action” é o pedido para o seu público fazer algo. Talvez você queira que seus fãs escolham qual vai ser o design da próxima camiseta da sua banda, ou encomendem seu álbum na pré-compra, ou garantam um ingresso para um show, ou te ajudem no seu crowdfunding, ou coloquem seus endereços de email no seu mailing.

É essencial fazer uma “call to action” relevante. Olha algumas ideias:

  • Poste uma foto no Facebook de você e um fã que ganhou um pacote com produtos da sua banda, depois de ter comprado um ingresso para o seu show mais recente. Conte aos fãs que eles também podem concorrer e ganhar brindes, se comprarem o ingresso pela internet, em vez de deixar para comprar na porta da casa de show.
  • Compartilhe um vídeo no Facebook com uma montagem dos melhores momentos do bate-papo online que fez com quem faz parte do seu mailing. Dê aos fãs que se inscreverem um link para participar do próximo.
  • Faça um vídeo de YouTube ensinando como tocar uma de suas músicas no violão. Inclua um link onde eles possam comprar essa música. (Ganhe pontos de bônus: TAMBÉM dê aos fãs a oportunidade de fazer download de uma partitura em troca do seu endereço de e-mail, para entrar no seu mailing.)

Conclusão: Marketing de conteúdo funciona

Espero que este artigo tenha te dado algumas novas ideias de como divulgar sua música. Lembre-se sempre que marketing de conteúdo não precisa ser uma coisa que intimida. Não pense em marketing de conteúdo como se fosse uma prática completamente nova. É só um jeito de otimizar o conteúdo que você já faz e compartilha.


A New Artist Model é uma escola digital de negócios musicais criada por Dave Kusek, o criador da Berklee Online. A escola online é uma plataforma para o ensino de estratégias práticas e técnicas de como se viver de música. Aprenda a criar um caminho único para sua carreira com as estratégias que estão funcionando para artistas independentes do mundo todo. Aprenda a pensar como empresário criar seu próprio plano e a viver da sua música. A New Artist Model oferece treinamento no nível de faculdade, por um preço muito menor do que as mensalidades da universidade. Os programas custam a partir de US$ 29 por mês. Para saber mais sobre a New Artist Model visite http://newartistmodel.com.