Sua música será julgada no mercado – mas só se ela estiver no mercado

No fim, o chefe do músico é um só: o mercado. É ele que vai decidir se você terá sucesso ou não. A gente dá dicas de como perder o medo desse monstro de bilhões de cabeças.

Sua música será julgada no mercado – mas só se ela estiver no mercado

Por Johnny Dwinell

O mercado é o juiz final de qualquer produto, e artistas sabem disso, então muitas vezes evitam serem avaliados para não lidarem com uma possível rejeição.

Eu tenho uma amiga que passou por poucas e boas. Os problemas dela eram de verdade, mas eu comecei a pensar que ela estava batalhando há tanto tempo que suas emoções começaram a deixar seu julgamento do que era importante e do que não era importante um pouco embaçados.

Eu comecei a ficar preocupado com a minha amiga e como ela lidava com os desafios. É fácil perder a perspectiva dos fatos quando sua vida e sua felicidade mental estão sempre sob ataque – ainda mais quando isso vem rolando por anos. É exaustivo, não importa o quão forte você seja, como se você estivesse perdendo uma luta de boxe e a única coisa que pudesse fazer é proteger seu rosto com as luvas.

Às vezes, fatos são carregados de emoções que a gente atrela a eles e a histórias da nossa vida – alguns ruins, outros bons. E essas histórias podem até ter acontecido. Mas às vezes, em um dado momento, nossa mente começa a confundir essas histórias. Elas se tornam justificativas de por que a gente não consegue vencer. Eu acredito que exista um mecanismo de defesa assim.

A razão de eu estar falando sobre isso é porque eu sinto que essa mesma lógica se aplica a músicos que estão tentando mostrar seu som para o mundo.

Eu acredito que, se sua arte for bem feita e você se apresentar de forma instigante, tem um público por aí que vai se ligar em você. Mas muitos músicos protegem tanto sua arte, como uma ursa mãe faz com o ursinho, que isso os atrapalha. Isso leva a estratégias ruins, nascidas das histórias meio equivocadas que a gente conta para nós mesmos.

É por isso que alguns de nós músicos nunca lançamos nosso som – você se barra porque, lá no fundo, tem muito medo da rejeição.

Frequentemente, topo com artistas que são musicalmente muito competentes, mas não se dedicaram a aprender sobre marketing. Por causa disso, a música deles nunca alcança seu potencial, porque o mercado não é informado. As distribuidoras são onde os consumidores vão comprar sua música, o marketing é o porquê eles vão comprar sua música.

É sua função de artista agir um pouquinho como um advogado: você precisa transitar pelo sistema e convencer o mercado a acreditar naquilo que você quer que eles acreditem. É o seu trabalho de artista influenciar o mercado.

É muito louco ver artistas fracassarem quando eles gastaram tanta, energia, dinheiro e tempo precioso para criar sua arte e produzir sua música – esse produto. Daí eles suspendem esse processo todo, baseando suas decisões nas histórias pessoais, o que vai dar em ações de marketing ruins e evitar que seu som atinja sua meta.

Isso é chamado de auto-sabotagem, e não acontece apenas com artistas. É da natureza humana. Lá no fundo, poucas pessoas acham que merecem o sucesso, ainda que a gente viva repetindo para nós mesmos que merecemos.

Deixe o mercado decidir

O esquema é o seguinte: sua música vai ser julgada pelo mercado. O mercado é, na verdade, o juiz final de qualquer produto, e muito artista sabe disso e então evita lançar seu som, com medo da dor da rejeição.

Para ter uma chance real, você precisa fugir do papo amargurado, de ficar pensando que há forças externas que não te deixam chegar até o seu sonho. Você tem de se responsabilizar pelo seu marketing: aprenda a fazer, faça e continue seguindo adiante.

Sim, você vai errar. E daí? Errar e seguir adiante é melhor do que acreditar em histórias que não vão te levar a lugar nenhum. Faz parte do processo de aprendizado.

Você pode dizer que é artista, e artistas de verdade não precisam fazer seu próprio marketing. Talvez. Eu concordo que talvez fosse melhor que artistas focassem na sua arte. Mas para isso você precisa ter chegado a um nível de sucesso em que tem dinheiro para contratar pessoas para fazerem seu marketing. É essencial que você saiba como o mercado funciona de verdade, por mais que tenha de começar sua carreira com uma renda de zero reais.

E é importante que você faça isso.  Se você não fizer por conta própria, não vai conseguir ver como o mercado funciona. Em qualquer outro mercado –e nunca se esqueça que você também é um empresário tentando emplacar o seu negócio – e você precisa aprender trabalhando cada passo que será necessário para chegar lá.

Porque, quando você tiver sua oportunidade, o cavalo selado passando na sua frente, você vai precisar saber montar para subir nele. Então não pule fora só porque tem medo de marketing. É só uma coisa de fora do seu dia dia e, quando você dominar o marketing, garanto que será bem prazeroso.

“Mas eu não tenho tempo”, é uma desculpa bem esfarrapada. Eu aposto que você consegue achar três atividades de marketing que vão fazer um bem danado pra sua carreira e você consegue encaixar na agenda. Ou separe uma hora por dia para ler um livro de marketing. E depois gaste meia hora tentando pôr em prática o que leu.

Para que o mundo te aceita, eles primeiro precisam saber que você existe. Depois que te conhecerem, talvez eles ouça, sua música. Se ela for do gosto, talvez eles comprem sua música. Faça isso com frequência e construa seu sucesso.

Se o mercado pegar pesado com você, é um bom sinal de que você tem que retrabalhar seu produto.

Meus primeiros shows, que fiz no ensino médio, eram horríveis. Os seus também. Mas a gente melhorou, não melhorou?

Sua primeira música não vai ser um hit, mas talvez a centésima seja. A pergunta é: você está disposto a dar tanto duro? Você realmente deseja isso?

Não mate o seu sonho porque você não batalhou por ele. Você nunca vai se perdoar. Faça sua arte do jeito que você quer fazê-la.  Depois entenda para que o tribunal do mercado te julgue bem. E entregue-se de cabeça!


Johnny Dwinell é um artista e produtor e homem de negócios de Los Angeles que criou a Daredevil Production em 2011 para dar opções de inovação artística a músicos no novo mercado. Em 2013, a Daredevil Production começou um blog  semanal, para oferecer a artistas inspiração, conselhos, apoio e conhecimento.


Comente

Seus email não será publicado.