Por que músicos independentes precisam ter um plano de marketing (e como criar um)

Eu tenho um plano! E você? Se não tem, vem na nossa: a gente ensina como fazer um plano de marketing que pode mudar sua carreira.

Por que músicos independentes precisam ter um plano de marketing (e como criar um)

Por Ryan Harrell

“Plano de Marketing Musical” — Parece uma coisa tão chata e de firma, não é?

Mas mesmo assim, todo músico independente tem uma história sobre como ficou soterrado por trabalho, frustrado e se sentindo mal na hora de divulgar sua música. Como um amigo músico disse uma vez, “é como se estivesse me afogando”.

Se isso descreve bem como você se sente, você tem muito a ganhar se fizer um plano de marketing.

Um plano de marketing bem definido vai organizar as suas atividades de divulgação do seu som. Você não vai ficar sentado coçando a cabeça e se perguntando o que fazer a seguir, nem sair correndo atrás da primeira novidade que aparecer brilhando na sua frente.

Em vez disso, você vai ter um processo organizado e longo de como mostrar sua música para o mundo.

Eu vou falar mais sobre como criar um plano de marketing mais para baixo. E, durante este post todo, vou mostrar como montar sua estratégia do zero.

Por que você precisa de um plano

O que um músico quer dizer quando ele diz que vai fazer “marketing” do seu som?

Eles querem divulgar a música no rádio? Aumentar o número de pessoas que a ouvem no SoundCloud? Conquistar uma legião de fãs que querem receber suas novidades por uma newsletter?

Todas as anteriores, é claro.

O problema é que cada um desses objetivos – tocar no rádio, conquistar seguidores nas redes sociais etc. – descreve uma competência completamente diferente de marketing.

Para tocar no rádio, você vai precisar ser um bom ou uma boa profissional de relações públicas. Para conquistar mais gente para o seu mailing, vai ter que conquistar o interesse do leitor. E para aumentar o número de seguidores no Instagram, vai precisar manjar de redes sociais.

Esse é o primeiro erro que os músicos independentes tendem a cometer: pensar que “marketing” é uma coisa só.

Em vez disso, o marketing é o encontro de vários campos profissionais diferentes. Inclui desde um anúncio de R$ 15 no Facebook até um comercial de R$ 15 milhões na novela das nove.

É por isso que muitos músicos independentes se sentem soterrados quando tentam fazer marketing de si mesmos sem para isso ter um plano. A não ser que você saiba exatamente o que está fazendo, é fácil acabar tentando fazer coisas demais ao mesmo tempo e não conseguir nenhum resultado de verdade.

Um plano de marketing te prende ao chão. Com o tempo, passa a ser o quartel-general do seu marketing. Ele mostra o que fazer, quando fazer e, o mais importante, por que fazer essas coisas.

Para qualquer pessoa que não trabalha com marketing, isso pode transformar os resultados.

Não É Só Uma Questão de Tática

Talvez porque ele tenha um nome tão utilitário, é fácil pensar que um plano de marketing é uma lista de ações.

Mas o processo para criar um plano de marketing exige um trabalho de introspecção, de olhar para dentro. Um bom plano de marketing nasce de uma estratégia de marketing boa. E, conforme você for criando sua estratégia, vai começar a entender melhor seu público, sua música e até você mesmo.

Pense nessa pergunta básica feita em todo plano de marketing: Como você deveria gastar seus recursos de marketing (também conhecido como seu ‘marketing mix’)?

Para responder a essa pergunta, você primeiro precisa entender:

  • O canal em que você fica mais confortável e tem mais talento – redes sociais, vídeo, conteúdo etc.
  • Seu orçamento e quão a sério você vai levar seu marketing.
  • Seu público e onde seu público se encontra.
  • Que tipo de canal de comunicação funciona melhor para a sua música.

Do mesmo jeito, uma “estratégia de marca” faz parte de qualquer plano de marketing.  Para criar essa estratégia de marca, também conhecida como “branding”, você precisa conhecer quais são suas crenças e seus objetivos — tanto os a curto prazo quanto os de longo-prazo—  e que valores norteiam sua vida.

Esse é um dos pontos positivos mais menosprezados da criação de um plano de marketing para músicos independentes. A introspecção de se fazer essas perguntas pode revelar quem você é e o que importa para você.

O que nos leva à próxima grande questão: Como criar um plano de marketing para música?

Eu compartilho essa resposta aqui embaixo.

Como criar um Plano de Marketing para Música

Um plano de marketing é um documento simples que traça um esquema das táticas de marketing de uma empresa (ou, no seu caso, de um artista) para o ano.

Esse documento pode ser amplo ou raso, dependendo da necessidade. Uma barraca que conserta celulares pode ter um plano de marketing de uma página. O plano de marketing da Coca-Cola deve ter umas centenas de páginas

Se você procurar no Google por modelos de plano de marketing, vai ver que a maioria deles é dividida em áreas como essas:

As principais áreas de um plano de marketing são:

1 – Resumo Executivo
2 – Análise da Situação
3 – Oportunidades e Análise de Problemas – SWOT Analysis
4 – Metas
5 – Estratégia de Marketing
6 – Plano de Ação (o plano operacional de marketing para o período que ele cobre)
7 – Previsão financeira
8 – Métodos de controle

Como músico, você não precisa seguir esse modelo todo. Você não está tentando impressionar seus colegas de firma ou conseguir a aprovação do seu chefe. Seu objetivo é simples: definir sua estratégia e documentar seu método de ação.

Seu plano de marketing, na essência, tem de responder a essas perguntas:

  • Quem é seu público-alvo?
  • Quais são seus objetivos de marketing?
  • Onde você vai fazer marketing da sua música?
  • Como você vai fazer esse marketing?

Além disso, é essencial que você também tenha uma estratégia documental. Pode ser um texto subjetivo, uma apresentação de PowerPoint, um vídeo – depende de você.  O objetivo desse documento é te ajudar a entender suas próprias metas, motivações e técnicas.

Então mantenha isso em mente, e vamos dar uma olhada no processo de como é montar um plano de marketing.

Comece Olhando Para Dentro

Todo bom plano de marketing começa com o entendimento profundo do produto (música), do negócio (você) e do mercado (ouvintes).

Você pode chamar isso de “estratégia”. Eu prefiro chamar de introspecção, um processo de olhar para dentro de si.

Seu objetivo aqui é descobrir quem é você enquanto músico ou música. Você tem de ir fundo e entender suas motivações para correr atrás da música. O plano de marketing de alguém que sonha em tocar no Tomorrowland vai ser bem diferente do plano de quem quer tocar no café indie da esquina.

Não há uma rota pronta para esse passo. Em vez disso, eu recomendo que você se faça perguntas abertas, e as responda à mão, por escrito.

Eis algumas das perguntas que você pode se fazer:

  • Que tipo de música você curte fazer? Por quê?
  • Se você pudesse estar no lugar de qualquer músico do mundo neste momento, no lugar de quem estaria? Por quê?
  • Onde sua carreira musical está agora? Onde você se vê daqui a cinco anos?
  • Que tipo de ouvinte você quer atrair?
  • Qual é o lugar em que você sonha em tocar? Um estádio, um bar, uma casa de shows média?
  • Além da música, com que músico você se identifica pela marca dele ou dela?

As pessoas muitas vezes começam a fazer música sem ter entendido de verdade que tipo de músico quer ser. Perguntas como essa podem te ajudar a transformar uma ideia vaga em um plano concreto.

Eu incentivo você a responder todas elas, mesmo que não precise de um plano de marketing

Descubra a sua “Marca Visual”

Quer você goste ou não, toda música tem uma identidade visual. Como as pessoas vão receber essa identidad visual depende tanto dela quanto do que ela faz pelas suas letras, melodias e por você como artista.

Quando eu digo “identidade visual”, quero dizer como você se apresenta. Desde a fonte que usa para escrever seu nome na capa de um álbum até a arte que vai usar no header do seu perfil de Facebook, tudo isso é sua identidade visual

Parte da sua identidade visual vai ser determinada pelo estilo de música que você toca. Um artista de metal com certeza vai ter uma identidade visual diferente da de um de pop.

Por exemplo, o editor do Blog SomosMúsica, Chris Robley, tem uma estética que se alinha com o trabalho dele de cantor e compositor.

 

Por que músicos independentes precisam ter um plano de marketing (e como criar um)

Compare essa foto com a do Gucci Mane, que tem uma estética mais ousada, que combina com seu estilo (hip-hop).

Por que músicos independentes precisam ter um plano de marketing (e como criar um)

Antes de começar a criar um plano de marketing, separe um tempinho para pensar na sua marca visual. O processo de olhar para dentro que você fez lá no começo deve te ajudar com isso. A marca mais atraente é a mais verdadeira, autêntica.

Eis algumas coisas que você pode fazer para entender sua marca visual:

  • Faça uma lista dos seus artistas prediletos e “empreste” inspiração dos sites deles, de como eles aparecem na imprensa, da sua presença em mídias sociais, nas artes dos seus álbuns e vídeos
  • Identifique as cores, iconografias, vídeos e imagens que se alinham com sua música
  • Inspire-se em fontes não musicais, como filmes, marcas, arquitetura e mesmo portfólios de design

Siga o processo de  agências profissionais de designe para a criação de marcas digitais. E depois junte tudo em um perfil de Pinterest. Volte para ele sempre que for produzir algo decorrente da sua música – site, arte de um álbum, imagens para redes sociais.

Feche em um objetivo

Muitas ações de marketing vão pelo ralo porque os músicos não têm ideia do que realmente querem alcançar. Eles geralmente estabelecem metas vagas, como “ficar famoso”. Isso pode até soar bacana, mas é vago e dificilmente vai te dar direções de como melhorar seu desempenho.

O que você precisa é de Metas EMART, chamadas em inglês de Smart. Metas que sejam:

  • Específicas – A meta tem que ser clara. “Tocar em uma grande casa de shows” não é específico. “Tocar no Tomorrowland” é.
  • Mensurável – Você tem de conseguir medir seu desempenho. Por exemplo, “ganhar popularidade” não é mensurável, mas “ganhar mais seguidores no Instagram”, é.
  • Atingível – Eu adoro ambição, mas suas metas têm de ser realistas. Se você começou a produzir músicas há seis meses, “ser o principal músico do Tomorrowland em um ano” não parece ser uma meta atingível.
  • Relevante – Escolha uma meta que seja relevante para o que você quer alcançar. Se você quer conquistar mais fãs, conquiste seguidores no Instagram e no SoundCloud, não contatos no LinkedIn.
  • Tempo certo – O tempo tem de ser um componente para toda meta, ou você pode se perder no caminho.

Faça o caminho inverso: comece em metas vagas e chegue nos seus objetivos EMART.

Por exemplo, se você quer “ficar famoso”, pergunte-se: O que é ser famoso para você? Ter mais seguidores no Instagram? Ser mencionado na mídia?

Use essas respostas para guiar seus objetivos. Se ser famoso significa ter mais seguidores no Instagram, sua meta pode ser:

  • Conquistar 100.000 seguidores no Instagram durante os próximos 12 meses

No mundo ideal, todo plano de marketing deve ter 3 ou mais metas. Você não quer exagerar e ter muitas– elas serão só uma distração.

Você vai descobrir que metas EMART são muito mais motivacionais que objetivos vagos, independente de o que você esteja fazendo– divulgando sua música, estudando para uma prova ou começando um negócio.

Analize Onde Você Está Hoje

Depois de você ter definido seus objetivos, é hora de ter noção da situação atual. Onde você está hoje? Que habilidades você tem? Que outras precisa adquirir?

Em planos de marketing de negócios, essa parte seria chamada Análise de “SWOT ” (Strengths, Weaknesses, Opportunities, Threats, ou Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, em inglês), mas a gente não precisa ser tão formal.

Em vez de usar a lógica SWOT, faça o seguinte:

  • Liste o número de seguidores em todas as plataformas – Facebook, YouTube, Instagram, Snapchat, etc.
  • Liste o tráfego, ou número de acessos do seu site, o número de pessoas que assina o seu mailing e qualquer outro fluxo de seguidores que você possa ter
  • Liste todas as plataformas de marketing que tem – sites, redes sociais, assets da sua marca (logotipo, a arte de álbuns etc.)
  • Identifique suas habilidades de marketing mais básicas. O que você sabe fazer – criar conteúdo, gerenciar redes soaicias, fazer vídeos?
  • Identifique as habilidades de marketing de que você precisa. Você consegue desenvolvê-las? Se sim, quanto tempo e quanto dinheiro isso custaria?
  • Identifique as habilidades que você vai ter de terceirizar. Faça uma lista de contatos que pode usar para isso
  • Identifique as contas de mídias sociais e as publicações em que você quer aparecer. Você tem alguma relação com elas hoje? Talvez você queira que uma música sua apareça no EarMilk, ou que um influenciador de música faça um Tweet sobre você.

Depois que você tiver reconhecido qual é sua situação atual, olhe de novo para suas metas. Pergunte-se: Que habilidades/recursos vão ser necessários para alcançar meus objetivos?

Preencher esse vazio entre o que você tem e o que você quer tem de ser a base do seu marketing.

Descubra Quem É seu Público

Por mais estranho que possa parecer, seu público não chega perto de ter a mesma importância, dentro de um plano de marketing.  Você não está vendendo nada (pelo menos não em termos financeiros). E já existe um público formado para praticamente todo estilo de música.

Então, no lugar em que um plano de marketing normal colocaria os dados demográficos e a informação psicológica do público, você só precisa descobrir o seguinte:

  • Onde está seu público-alvo?
  • De que outros artistas eles gostam?
  • Qual é o seu jeito predileto de consumir música?

As respostas para essas perguntas nem sempre são claras, é claro. Alguns estilos musicais têm comunidades muito bem definidas (como metal). Já outros – especialmente pop – têm um público bem fragmentado.

A maneira ideal de descobrir isso é entrevistando os fãs mais ferrenhos deste estilo musical. Pergunte o que eles leem, que fóruns eles frequentam e onde eles descobrem novos sons.

Se não for possível, recorra ao Google. Pesquise termos de busca como:

[seu estilo de música] + fórum

[seu estilo de música] + blog

[seu estilo de música] + fan page

[artista parecido com você] + fan page

Use isso para construir uma lista de comunidades-alvo, e entrar em contato com seus editores ou fundadores. Qualquer marketing que você fizer tem de ter saído de perguntas desta lista.

Por exemplo, se seu público usa blogs para descobrir novas músicas, você precisa construir uma relação com os editores desses blogs. Essa deve ser a sua prioridade. Você pode até usar listas que já estão prontas, como essa de 101 blogs de música,  para apressar o processo.

Além da distribuição,  comunidades focadas em um estilo de música são um ótimo jeito de entender como pensa o seu público. Caia de cabeça nessas comunidades para entender o que eles curtem. Que outros assuntos além de música são discutidos ali?

Você pode jogar o endereço de cada um desses blogs no Buzzsumo, para ver os conteúdos mais compartilhados deles. Isso vai te ajudar a entender os assuntos, as ideias e os conteúdos que mais interessam ao seu público-alvo.

Junte tudo

Você já fez um monte de lição de casa.

Agora é hora de juntar tudo em um plano completo.

De novo, não precisa seguir os exemplos dos planos de marketing que encontrar na internet. A maioria deles se foca em empresas e não tem muito a ver com um músico promovendo seu som.

Em vez disso, vá para o seu documento de estratégia e confira os seguintes itens:

  • Objetivo, suas metas exatas e como você vai medi-las
  • Público uma visão geral do seu estilo de música, do seu público e de quem é seu alvo, e onde se encontram essas comunidades
  • Situação atual.o que você tem atualmente (habilidades, público, recursos) e o que você precisa conquistar
  • Plano de ação uma lista de táticas que você vai usar para ir de o que você tem para o que você quer ter.

Por exemplo, se seu objetivo for conquistar seguidores no Instagram, e você for bom de marketing de mídias sociais, seu “plano de ação” pode ser trabalhar para ser um influencer.

Você pode expandir seu plano de marketing para além disso, incluir informações sobre finanças, sobre outros músicos e sobre sua marca. Mas para a maioria de nós, um plano com público-alvo, pontos fortes e pontos fracos e informações sobre a sua própria música costuma ser suficiente.

Faça isso e você vai descobrir que marketing de música não é tão confuso assim.


Por que músicos independentes precisam ter um plano de marketing (e como criar um)Ryan Harrell passou quase uma década em equipes de marketing de startups. E há mais tempo ainda ele é produtor, promoter e DJ. Ele compartilha suas dicas de marketing de música no  MIDINation blog.

3 Comentários

  1. a.brisasproject@gmail.com'
    by Brisas Project on agosto 9, 2019  14:34 Responder

    Poxa, super legais as dicas.
    Bem completo e sem voltas. Super direto e esperançoso!
    Adorei, já comecei a seguir as dicas.

    • erikap@cdbaby.com'
      by Erika Parr on agosto 21, 2019  14:23 Responder

      Muito Obrigado :)

Comente

Seus email não será publicado.