Conseguir que seu som saia na mídia é mais difícil do que nunca, e isso pode ser uma coisa BOA

A imprensa de música está menor do que nunca. Isso é triste, mas pode ter um lado bom para músicos independentes como eu e você. Qual? Venha cá saber

Conseguir que seu som saia na mídia é mais difícil do que nunca, e isso pode ser uma coisa BOA

Por Chris Robley

 

Com a imprensa de música perdendo poder, músicos independentes podem chegar aos fãs sem esse intermediário.

Uma matéria da revista Billboard ilustra como as relações públicas de músicos estão batalhando com uma mídia de música que está diminuindo.

É uma leitura interessante, com informações interessantes do ponto de vista dos melhores relações públicas do mercado.

A reportagem foca nos desafios enfrentados pelos profissionais de relações públicas:

  • A diminiuição do valor das premieres, ou estreias de músicas (por causa do streaming)
  • O declínio de número de acesso a blogs de música
  • Revistas dedicam cada vez menos páginas a música
  • O aumento da dificuldade de novos artistas chamarem a atenção da mídia
  • Um número crescente de novos artistas lutando pela atenção da imprensa

A reportagem faz o seguinte resumo:

“…segundo os editores de mídias de música entrevistados para esta matéria, muitos relações públicas estão substituindo qualidade com quantidade — mandando mais press releases para um número cada vez menores de veículos de imprensa que cobrem música, especialmente que cubram artistas independentes, e que estão cada vez alcançando menos leitores”

Deprê, não? Talvez não seja. Há um lado positivo nisso para músicos independentes: A dificuldade em sair na mídia pode trazer com ela uma liberdade.

Por que NÃO CONSEGUIR SAIR NA MÍDIA pode ser bom para você, músico?

Bom, não me leve a mal, se você conseguir que um veículo de imprensa respeitável escreva sobre você, isso vai ser ótimo!

[Dez jeitos de conseguir que sua música saia na mídia, sem precisar lançar um álbum ou fazer uma turnê.]

Ter críticas boas da imprensa pode te abrir portas, demonstra que seu som é viável (pelo menos para a crítica, mesmo que não seja financeiramente viável) e vai fazer você se sentir bem. E nesse campo os relações públicas de música ainda têm um papel muito importante. Esse valor aumenta se você já tem uma história, uma marca, fãs, uma infra-estrutura, e uma fonte de renda confiável. Relações públicas podem sempre aumentar esses sucessos.

Mas a maioria dos artistas independentes ainda não atingiu esse patamar. Para eles, deve ser algo saudável que blogs e veículos de imprensa esteja perdendo força (NOTE QUE: Eu não estou dizendo que a mídia como um todo perder força é uma coisa boa para a sociedade).

Onde mais você pode gastar sua verba?

Músicos costumam ser obcecados com sair na imprensa. Ainda mais se for uma mídia cara. Uma mídia MUITO cara.

Mas contratar um relações públicas de música para fazer sua divulgação pode custar US$ 1.500 por mês, ou até US$ 10.000 por um trabalho de dois meses e meio, e esse RP vai poder te prometer menos resultado do que poderia ter prometido 3 ou 4 anos atrás.

Quando seus recursos são limitados, o que mais você pode fazer com essa grana, esse tempo e essa energia?

Os músicos deveriam PARAR de se preocupar com sair na mídia, e COMEÇAR a se preocupar em criar conexões com os fãs.

Quem curte música tendem a achar novos artistas e novos fãs no Spotify e no YouTube, em vez de ouvir falar desses artistas em blogs ou em revistas. Então conseguir sair na mídia perdeu alguma importância. É por isso que blogs e revistas de música estão diminuindo, porque diminuiu a verba de anúncio para eles. Quanto menos espaço de mídia houver, mais difícil vai ser conquistar esse espaço.

Talvez os músicos já estejam livres para parar de se preocupar com isso e focar em começar a construir um público desde o começo da sua carreira? Eles podem usar o orçamento que usariam para chegar até a imprensa para entrar em contato direto com seu público. Fazer anúncios para um público-alvo nas redes sociais vai pelo menos trazer resultados mais claros!

Você pode gastar US$ 3.000 em assessoria de imprensa e RP e conseguir com isso ser citado algumas vezes na imprensa (e talvez). Ah, e cruze os dedos para que as críticas sejam positivas.

No fim das contas, você vai ter pouca informação sobre quem leu as entrevistas ou críticas, o que esses leitores fizeram depois que eles leram a crítica, ou como essas menções serviram para transformar esses desconhecidos em fãs. Para ser realista, no máximo umas centenas de pessoas vão ver a reportagem. Uma porcentagem bem pequena desse grupo vai atrás de você no Soundcloud, no YouTube, ou mesmo ler a matéria até o fim

EM VEZ DISSO — você pode gastar metade desse valor em anúncios em redes sociaispara passar A SUA mensagem, O SEU vídeo, A SUA voz na tela da pessoa que VOCÊ quiser e escolher. Sem intermediários. Sem meieiros.

Você pode alcançar assim centenas de milhares de pessoas. E, mesmo que um percentual muito pequeno dessas pessoas vá se engajar mais profundamente com seu som, estamos ainda falando de MILHARES de pessoas

Marketing e anúncios de música em redes sociais oferecem:

  • Resultados que podem ser medidos
  • Anúncios dinâmicos para públicos diferentes
  • Uma maneira de unir os pontos de “engajamento” com venda de CDs, pessoas assinando seu mailing e te seguindo no Spotify

É ótimo sair na mídia. Mas é melhor criar uma conexão direta com seus fãs. 

Eis 4 coisas que você precisa saber sobre fazer marketing direto para seu público-alvo:

  1. O que todo músico deve saber sobre remarketing
  2. Marketing sequencial com conteúdo de mídias sociais (ou POR QUE SEUS VIDEOCLIPES NÃO ESTÃO FUNCIONANDO!)
  3. Como decidir ONDE você vai divulgar sua música
  4. Um novo jeito de pensar o marketing da sua música

E é claro que tudo isso começa com as músicas ótimas que você cria, e depois disponibiliza para o mundo.

DISTRIBUA SUA MÚSICA GLOBALMENTE


1 Comentário

Comente

Seus email não será publicado.