Como saber se é hora de pedir demissão e viver só de música

Mude sua profissão no Facebook para “Músico na empresa Músico”. A gente dá dicas para você saber se é hora de pedir demissão do seu emprego mais convencional e viver de fazer música 12 horas por dia.

Como saber se é hora de pedir demissão e viver só de música

Por Caleb J. Murphy

Existe uma “hora certa” pra virar músico profissional?

Muitos de nós conhecemos a dor de não conseguir só fazer música da vida. Em vez disso, a gente tem que ir ao trabalho, pegar metrô lotado e fazer um serviço que é pálido, perto do sonho da nossa vida de ser músico.

Além dessa dor, a gente chega em casa no fim do dia sonhando em ter mais energia para poder dedicar à música.

Mas o mundo sempre te diz para não pedir demissão e viver só de música. As pessoas dizem que é idiotice, que música não dá dinheiro.

Mas a pergunta não é “se” você deveria pedir demissão do seu emprego, só “quando” você deveria pedir demissão.

Quando é a hora certa de fazer o salto, ir de músico amador a músico em tempo integral?

Eis algumas coisas que você deve levar em consideração antes de jogar toda a papelada da sua mesa na firma no chão.

Grana na mão…

Esse é, de longe, o maior problema para músicos que têm de ter um trabalho. E a questão nem é de que as pessoas desconhecem jeitos de ganhar dinheiro com música. Há dezenas de posts, vídeos e livros bem úteis sobre o assunto.

O impedimento real é encontrar fontes de renda na música que funcionariam para você, e depois disso sair (ou ficar em casa) executando-as e conseguindo chamar atenção das pessoas. Cê sabe, para ganhar dinheiro.

Mas você consegue fazer uma coisa assim. As pessoas fazem isso todo dia. É só trabalhar e ter paciência. Se você for determinado e mantiver o trabalho, o dinheiro vai começar a pingar (ou a jorrar) uma hora..

Como escreveu Ari Herstand no livro How To Make It In The New Music Business: música é uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos.

Os perigos de ser músico em tempo integral

Ser músico em tempo integral parece ser a coisa mais legal do mundo, mas e se com o tempo ficar chato, como qualquer outro trabalho?

O cantor e compositor Gregory Alan Isakov pode falar do assunto. Porque além de cantor e compositor ele é… fazendeiro. E só não trabalha com música o tempo todo porque ama ser homem do campo.

Em uma entrevista com a Inc, ele falou sobre a vida de fazendeiro, de músico e de como equilibrar essas duas carreiras tão diferentes.

“Há um aspecto econômico na música. Mas ninguém fala de alegria e satisfação”, ele diz. “E isso é um lugar delicado. Sua felicidade e seu conforto valem muito”

E, quando sua felicidade é a coisa mais importante da vida, você pode abrir mão de oportunidades de conquistar dinheiro e fama para ficar fazendo aquilo que te faz feliz.

“A gente pede para o nosso empresário umas coisas do tipo: ‘Quando a gente for tocar em Portland, marca todos os shows no mesmo lugar. A gente ama aquela casa de shows’”, conta o Isakov. Eles podiam tocar em casas de show maiores e ganhar mais dinheiro, mas…

Ele diz “…estar feliz —e amar a experiência como um todo —às vezes é mais importante do que ganhar dinheiro.”

Felicidade ganha de grana toda vez.

Quando você tem de pedir demissão?

Deixa-me esclarecer: Não estou dizendo que a gente não tem de lutar para ser músico em tempo integral. E se tivesse que chutar, diria que a maioria de nós tem esse sonho. É o que eu quero para mim.

A questão aqui é não dar esse salto antes de estar pronto.

Você precisa de um planejamento financeiro antes, mas não é só isso. Também precisa levar em conta como sua relação com a música pode mudar.

Então, antes de pedir demissão, pergunte a si mesmo: eu vou conseguir me sustentar? E eu vou ficar feliz se a música virar meu emprego de todo dia, o dia todo?

Se você disse sim às duas perguntas, acho que é a hora de respirar fundo, dar esse salto e aprender a lidar com sua vida nova.


Distribuição de álbuns por apenas US$29. Vamos lá!

1 Comentário

  1. Pingback : Como saber se é hora de pedir demissão e viver só de música – Agnaldo Rangel

Comente

Seus email não será publicado.