Como o streaming está mudando a maneira como música é produzida, e o que você pode fazer

Morreu o CD e nasceu o streaming: como esse jeito de ouvir música online está mudando como artistas compõem e produzem seu som. E por que isso não é necessariamente ruim

Como o streaming está mudando a maneira como música é produzida, e o que você pode fazer

Por : George Goodrich

Seja mais ouvido em streaming, é só entender a estrutura e a sonoridade desse novo jeito de consumir música.

Plataformas de streaming medem o sucesso de um artista com novas métricas. E isso está mudando a maneira como artistas fazem suas músicas. E está mudando o mercado como um todo.

A música, hoje em dia, é consumida em um ritmo insano. Em um mesmo dia, mais de 40 músicas diferentes passam pelo meu ouvido. Quando eu era jovem (na década de 1990),  e ouvia rádio, eu ouvia de 8 a10 músicas diferentes por dia. E, se comprasse um álbum, ia ouvir essas dez ou 12 faixas por um mês ou  mais.

Como sabemos, as vendas de CD e de downloads está morrendo. Serviços de streaming estão florescendo, e seus algoritmos são complexos, e servem para organizar o mar de música que chega todos os dias. Hoje, é um algoritmo como o do Spotify que determina até aonde sua música vai chegar, e em quantos ouvidos ela vai tocar. Essas fórmulas matemáticas foram criadas para otimizar o consumo de música pelos usuários desses serviços, mas agora estão mudando como músicas são escritas, produzidas e lançadas.

Spoiler: o que vou dizer aqui são dicas que aprendi trabalhando com milhares de artistas que estão no Spotify. Essas dicas não servem para todo mundo e nem todo mundo precisa mudar o jeito que faz arte para ser mais viável comercialmente!

Mas, se você quer que sua música seja mais ouvida nas plataformas de streaming, pode seguir essas dicas.

Ajuste a estrutura das suas músicas

Por muito tempo, uma música típica tinha a estrutura “ABABCB”.

Como o streaming está mudando a maneira como música é produzida, e o que você pode fazer

Mas agora tem muito mais música começando já no refrão: BABABCB.

Por quê?  Isso agarra a atenção do ouvinte logo de primeira, e permite que o artista já entregue seu ouro no começo. Sem introduções longas. Em vez disso, o ouvinte já é apresentado ao gancho da canção, daí fica esperando para ele aparecer de novo.

Exemplos de músicas que começam com o refrão:

“Better Now” – Post Malone

“Please Me” – Cardi B & Bruno Mars

Encurte suas músicas

Essa é polêmica, mas bem importante: A duração média de uma música que chega à parada Billboard Hot 100 caiu. Era de quatro minutos em 2000 e foi para menos de três minutos e meio em 2008.

Nem todo mundo deveria encurtar suas músicas para seduzir um público mais jovem, e com uma capacidade de concentração mais curta. Na verdade, encurtar suas músicas pode afugentar os seus fãs que já existem (se você tiver algum). Mas, se você for um artista que toca Hip Hop, Pop ou Indie Pop, encurtar as suas músicas certamente vai ajudar a ser mais ouvido em streaming, porque as pessoas tendem a repetir, e talvez você também seja mais usado em playlists oficiais do Spotify.

Entretanto, você só deve encurtar suas faixas se for lançar um álbum inteiro, e os ouvintes forem ouvir em streaming a obra toda. Além do mais, o Spotify dá condições melhores para projetos longos (álbuns) do que para singles.  Quando você lança um álbum, tem mais chances de o Spotify te notar.

Tenha uma estratégia de lançamento

Cada lançamento no Spotify é uma chance de descobrir o que está funcionando para a sua música, e o que não está. Consistência é um fator comum aos artistas que dão certo no streaming.

Já vi essa cena muitas vezes: o artista gasta toda seu energia, seu tempo e seu dinheiro para lançar um single, ou um videoclipe chic. Se esse lançamento não viraliza ou não corresponde às expectativas do artista, ele fica frustrado e tem dificuldade de voltar ao trabalho. Planeje-se: faça um cronograma de lançamentos de um ano, mesmo que seja para lançar um single a cada 3 meses. Assim, se você começar a ganhar seguidores, terá mais música para dar para eles. Prepare-se para ter pelo menos um sucesso, e siga o seu plano!

Sua estratégia de lançamento deve ter:

  • Uma direção criativa para o projeto (design, um gancho para usar no marketing etc.)
  • Uma equipe de profissionais criativos que consigam te ajudar com o trabalho, de acordo com a agenda deles. Por exemplo: Colegas de banda? Alguém que trabalhe num estúdio? Um engenheiro de mixagem?
  • Uma lista de afazeres com as coisas essenciais antes do lançamento (a arte de capa, as informações de metadados para mandar para as plataformas de streaming etc.)
  • Uma lista de afazeres com as coisas essenciais para a divulgação da música (como oferecer suas músicas para serem usadas em playlists, ações de RP, vídeos, etc.)

Faça uma colaboração com um artista parecido

Uma coisa muito legal do Spotify é que, quando uma música é feita por dois artistas, pode aparecer no perfil dos dois

Encontrar um artista que já tenha algum sucesso (mais ouvintes e seguidores do que você) pode ser um jeito ótimo de marcar presença no Spotify. Confira com a CD Baby para que os dois artistas apareçam como os donos da música (ou “compound artists”, em inglês), para não ser só um “feat”.

Um exemplo bom dessa técnica é a colaboração Date Night/Chris Robley, na música “True North.”  Como você pode ver, a faixa aparece no perfil de ambos os artistas, e os dois levam os créditos por ela:

Como o streaming está mudando a maneira como música é produzida, e o que você pode fazer

Essas são quatro dicas simples de como aumentar a eficiência da sua música nas plataformas de streaming:

Vá direto ao ponto – as pessoas têm menos atenção para dar, então quanto mais rápido você conseguir fisgar um ouvinte (com o refrão), mais provável que eles ouçam.

Não se preocupe com a duração da sua música. Músicas curtas são OK, e muitas vezes funcionam melhor para streaming..

Planeje o seu sucesso. Monte uma equipe de criativos para te ajudar na trilha para o estrelado. Se não rolar, você vai ter mais músicas prontas, esperando para lançar — então não desista!

Por fim, trabalhe com outros artistas. Será bom para sua inspiração & para ser mais ouvido em streaming.

Você mudou o jeito que faz música desde que o streaming surgiu?

Conte para a gente nos comentários, tanto do que funciona quanto do que não funciona.

 


George Goodrich é o autor de Como usar listas de reprodução Spotify para lançar sua carreira na música e o CEO da PlaylistPush, onde ele e sua equipe estão mudando o cenário da promoção musical, conectando artistas a proprietários de playlists no Spotify.

Comente

Seus email não será publicado.