Acredite ou não, o vinil vai muito bem, obrigado

É sério que existe gente que compra vinil em pleno 2018? Existe muita! E são daquele tipo que vale a pena ter como fã. Duvida? Vem ler!

Acredite ou não, o vinil vai muito bem, obrigadoPor Ana Clara Ribeiro

Em termos de armazenamento de música, o vinil foi sucedido pela fita cassete, depois pelo CD, depois pelos arquivos mp3 e outros formatos digitais de música, e por fim, hoje nós vivemos a era do streaming.

Ou seja: depois do fim da época de ouro do vinil, que durou desde meados dos anos 1950 até o começo dos anos 1990, muita água já rolou… Então por que ainda existe gente interessada em comprá-los?

Talvez você nem tenha vivido a época em que se comprava vinis – mas mesmo assim é bom ficar atento a essa forma de ouvir música, pois ela não foi 100% superada e inclusive vai muito bem!

Venha entender esse fenômeno. Quem sabe você não lança seu próximo álbum em vinil também?

É sério que existe gente que compra vinil em pleno 2018?

Sim, muita gente compra!

Ainda é cedo para ter dados sobre as vendas de 2018, mas o que já sabemos é que no ano de 2017, as vendas de vinil bateram o seu recorde.

Foram mais de 14 milhões de unidades vendidas, o maior número desde que os dados sobre venda de vinil começaram a ser feitos pela empresa Nielsen Music, criada em 1991 – época em que os vinis ainda vendiam relativamente bem e os CDs eram novidade.

Outro dado importante é que, além de 2017 ter sido um ano recorde para as vendas de vinil, foi o 12º ano consecutivo em que se verificou esse crescimento nas vendas.

Ou seja, a venda de vinis vai bem há mais de uma década!

Por que ainda se compra vinil?

Em termos de qualidade e praticidade, o vinil pode se sair mal em uma competição com outros formatos e meios.

Porém, o seu diferencial não pode ser compreendido sem que se tenha uma noção de como eram as condições para consumo de música na época em que eles foram lançados.

Em meados dos anos 1940, a única maneira de ouvir música era por meio das rádios ou de espetáculos musicais. Caso você quisesse ouvir uma música de sua escolha, ou ouvir uma mesma música mais de uma vez, era preciso adquirir o vinil.

Se você já assistiu algum filme em preto e branco, deve ter visto alguma cena em que o personagem escolhe um vinil para tocar ao chamar um convidado para sua casa.

Era comum que as pessoas tivessem grandes reprodutores de vinil em suas salas e passassem horas no sofá ouvindo seus vinis, apreciando cada música.

É essa nostalgia que leva muitas pessoas a comprarem vinis até hoje.

O vinil ainda é visto com muito carinho por fãs de música e artistas que se mobilizam para manter a sua história viva, inclusive com festas e lojas temáticas, e movimentos como os da cultura sound system.

Mesmo as pessoas que nem escutam seus vinis gostam de adquiri-los com fins sentimentais, para fazer coleções – até mesmo pela raridade de alguns exemplares, que chegam a ser vendidos por valores na casa dos 5 dígitos!

Música moderna, meio antigo

Até aqui você pode ter achado que os vinis disponíveis no mercado são relíquias e guardados da época em que foram originalmente produzidos… Não se engane!
Tem gente fazendo música nos dias de hoje e lançando em vinil, sim!

Um lançamento em vinil traz um conceito old school que se destaca entre toda a tecnologia dos dias de hoje.

Com um consumo de música cada vez mais digital, meios físicos de armazenamento de música trazem uma vibe mais particular e tangível, que faz com que vejamos cada álbum como um objeto de valor, fruto de todo um trabalho e um conceito.

Muitos artistas têm percebido isso e buscado alcançar seus fãs dessa maneira!

Alguns casos recentes, inclusive, de artistas brasileiras, são a dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó e o rapper Emicida, que lançaram os álbuns “Tom do sertão” e “O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui” em versão vinil, respectivamente em 2015 e 2016.

3 motivos para lançar sua música em vinil

O vinil, sem dúvidas, proporciona uma experiência musical mais próxima ao ouvinte. Quem o compra, compra porque realmente valoriza música e quer ter artigos de música em seu acervo pessoal.

Veja então 3 motivos para lançar sua música em vinil:

  1. Relacionamento com os fãs

Ter um vinil em casa, assim como ter um aparelho musical, pôster ou qualquer outro objeto relacionado a música, é como uma declaração de identidade de uma pessoa, imprimindo uma marca bastante pessoal na decoração.

Sem contar que há fãs que realmente escutam os vinis, pois também gostam de ter a experiência de se dedicar completamente a ouvir música por alguns momentos.

E qual tipo de fã para um músico poderia ser melhor do que um fã como esse, que realmente dá valor à sua música?

  1. Marketing e branding

O vinil pode ser uma ótima forma de promover seus lançamentos, pois é uma alternativa inusitada e que chama a atenção.

Para a construção da sua marca pessoal ou de sua banda, ele também pode ser uma alternativa interessante para reforçar o conceito dos seus álbuns e a sua identidade visual.

  1. Renda

Além de todos os benefícios acima, o vinil pode ser mais uma fonte de rentabilidade para você.

Se você já se beneficia de tantos outros meios de distribuição musical, por que não usar mais esse?

Como distribuir minha música por vinil?

Você sabia que pode distribuir a sua música por meio de vinil com a CD Baby? Oferecemos o serviço de distribuição de vinis da forma mais fácil possível para você: nós mesmos mantemos o vinil em nosso acervo, processamos as vendas por meio do nosso sistema e enviamos até a casa do cliente!

Confira esse nosso serviço e acrescente o vinil entre as estratégias de promoção e monetização das suas músicas!


Distribua sua música com a CD Baby!

Comente

Seus email não será publicado.