Uma loja de discos nunca teria tido ISSO vinte anos atrás

O mundo muda: tem gente que acha que é para melhor e outros que dizem que tudo piorou. A gente mostra como hoje você consegue saber mais sobre quem compra sua música, e usar isso a seu favor.

tower-records-picPor Chris Robley

“Olá, bem-vindo à Tower Records. Você é músico? Ótimo, por que você não dá uma passada aqui todo dia para dar uma olhada no nosso livro de caixa e ter informações detalhadas sobre as pessoas que estão comprando seu som em nossas lojas, o que vai te ajudar a tomar decisões em tempo real para melhorar seu marketing…”

É. Isso nunca aconteceu.

Primeiramente, sua música nem estaria sendo vendida em redes como a Tower Records. (Bom, talvez num esquema de consignação na loja mais perto da sua casa.)

Segundo, se sua música ESTIVESSE lá, teria sido disponibilizada por um distribuidor físico, que representasse uma gravadora. Os dados mais parcos que o varejista tivesse— vendas, devoluções etc. — iriam para essas pessoas, não para você.

E, terceiro, as lojas não passavam para os artistas, distribuidores ou gravadoras as informações dos padrões de consumo dos seus fãs, muito menos mandavam um informe diário desses dados.

Hoje em dia, plataformas como Spotify, Pandora e Apple Music te dão atualizações diárias de quem está comprando seu som. Nãos os nomes, com licença, mas informações úteis para tomar decisões: cidade, idade, gênero, atividades em playlists e muito mais.

A plataforma de marketing Pandora’s Artist Marketing Platform e ferramentas como Spotify for Artists e Apple Connect também oferecem, em diferentes medidas, a possibilidade de se comunicar diretamente com seu público. De novo, você não podia entrar na Tower Records e bater no ombro de um cliente, enquanto ele estivesse comprando o seu CD.

Enquanto alguns aspectos dos negócios dessas lojas podem ser menos transparentes do que a gente gostaria, os grandes serviços de streaming ESTÃO dando a artistas e a gravadoras acesso sem precedentes a informações demográficas e dos usuários. Não são só dados. São dados ÚTEIS.

Tenha isso em mente quando alguém vier te dizer que o mercado fonográfico era muito melhor 20 anos atrás.

Algumas coisas eram melhor no passado? Provavelmente. Algumas coisas estão melhores hoje em dia? Com certeza. Fluxo!

Uma coisa que É ÓTIMA no mercado fonográfico de hoje em dia é como os artistas se empoderaram com o acesso a dados. Quer esses dados venham do Spotify e sirvam para vender todos os ingressos para uma turnê na Europa, para notar algo peculiar no seu movimento na Pandora e usar esse fato para conserguir 55.000 views num vídeo do Facebook, em apenas um dia, ou simplesmente para monitorar a eficiência de uma campanha de divulgação em streaming paga. Os dados te dão uma vantagem, contanto que você esteja disposta a checá-los com frequência, lutar para interpretá-los e estiver preparado para fazer mudanças de acordo com eles.

Para ter acesso aos dados do desempenho da sua música no Spotify, na Apple Music e no iTunes, tudo em um só lugar confira  os Relatórios de Tendência CD Baby’s Trending Reports.

[A foto da Tower Records é de Jessie Lingenfelter.]

 

Ganhe Dinheiro Guide

Ganhe Dinheiro Guide

Comente

Seus email não será publicado.