“Sua música é a coisa menos importante”

Vai doer ouvir isso, mas: “Sua música é a coisa menos importante”. Pode parecer uma blasfêmia, mas essa frase faz sentido. E a gente explica por que e como você pode se valer disso…

"Sua música é a coisa menos importante."

Por Chris Robley

Quanto antes você aprender essa lição, melhor vai ser.

Minha amiga Lisa Lepine costumava dizer o tempo todo: “Sua música é a coisa menos importante.”

É o tipo de verdade difícil que faz os músicos fecharem a cara instantaneamente, em defesa própria. A gente fica pê da vida. “Mas a música É O QUE MAIS DEVERIA IMPORTAR, mano!”

Claro. Claro. Para a gente, a única coisa que importa é a música. Porque a gente criou a música.

Para a maioria das pessoas, entretanto, a gente é só mais um músico competindo com milhões pela atenção.

Se você é uma agulha no palheiro, é bom que você seja uma agulha muito interessante.

Imagine um palheiro com 10 metros de altura, que representa todas as músicas lançadas nos últimos meses. O palheiro está crescendo com mais de mil palhas por dia. Agora imagine que sua música é a agulha soterrada lá embaixo.

Alguém mais sabe que essa agulha está lá? Não. Alguém se importa? Não. Alguém por acaso precisa de uma agulha? Provavelmente não.

Mas e se você me dissesse que essa agulha é feita de ouro? E se essa agulha  foi usada para costurar o terno de Abraham Lincoln? E se um fio vermelho que passa pela agulha fosse colocado na minha mão gentilmente, e me pedissem para puxá-lo?

De repente, eu estou interessado nessa agulha. Desde que não demore demais para achar essa agulha, eu estou disposto a vasculhar o palheiro.

É a HISTÓRIA da sua música — a animação, o contexto, a promessa — que vai me deixar interessado o suficiente para ouvir suas músicas. A gente não gosta de admitir, mas a verdade é que branding, marketing e storytelling (contar uma história) que vão levar as pessoas à sua música.

Aí entra a segunda parte do ditado de Lisa: “Depois que eu começar a ouvir sua música, a ÚNICA coisa que importa é sua música.”

Ou, como eu diria: a sua história é o convite, a sua música é a festa.

Quer contar melhor sua história artística? Eis algumas fontes que podem te ajudar

Como conseguir que novos ouvintes se interessem pela sua música? O que te diferencia como músico, e como contar a sua história? Conte para a gente suas táticas na seção de comentários, aqui embaixo.


 

Comente

Seus email não será publicado.