Para bem ou para o mal: Coloque o Facebook para trabalhar no marketing dos seus eventos

O Facebook está longe de ser a plataforma ideal para ligar músicos e fãs, mas a gente procurou um especialista que deu dicas de como usar melhor os Eventos do Facebook, que ainda estão se aprimorando

mark-zuckerberg-facebook[Este post foi escrito por Joshua Powell, e apareceu originalmente no site FearsomeFolk.com.]

Despeje sua energia no Myspace.

Nunca, desde que essa rede social decaiu, houve uma plataforma tão integrada para os fãs se conectarem com seus artistas prediletos. ns to connect to their favorite artists. Você não “curtia” o Dashboard Confessional. Você e eles eram amigos. Em um só lugar você podia ver as fotos de Chris Carabba, ler seu blog sobre a turnê, ouvir as músicas em “streaming”, descobrir quando ele ia se apresentar e onde, deixar uma mensagem—o que você quisesse.

Quando Tom e o seu pessoal ficaram para trás na corrida maluca das redes sociais, o Facebook conseguiu pegar o primeiro lugar de usuários, mas se adaptou muito devagar ao marketing de música, segmento em que seu antecessor nadava de braçada. A relação no Facebook nunca foi tão pessoal quanto no MySpace. Os apps com plugins de outros serviços, dentro do Facebook, nos confundiam. E mesmo que o Myspace estivesse à beira da morte em 2009, parece que o Facebook ainda não o conseguiu alcançar. Algumas bandas são mais ativas no Twitter ou no Instagram, ou reservam o grosso de sua energia para apps, campanhas por e-mail ou os bons e velhos sites. Páginas de bandas no Facebook podem ser difíceis de achar, de navegar ou de se engajar.

 

Há, entretanto, maneiras de fazer o Facebook funcionar—especialmente para artistas que fazem turnês. Os Eventos do Facebook são uma interface cada vez mais útil para conseguir engajamento social ou divulgar seu evento. Aqui vão quatro maneiras práticas de levar mais gente para o seu evento usando o Facebook.

  1. Trate sua página de evento como se fosse um sitezinho.

Serviços como WordPress transformaram o webdesign em uma construção simples com blocos, e assim mesmo a pessoa menos entendida de tecnologia consegue criar um site para garantir sua presença profissional online, ou o lançamento do seu livro, ou seu casamento. Um evento no Facebook deveria ser tratado da mesma maneira—como um porto fácil de navegar e com detalhes pertinentes. Uma página de evento não se dissolve depois que o evento acontece. Elas são arquivadas, como um site com domínio próprio, que precisa ser pago todo ano.

Cada página de evento tem uma foto que não serve só de cabeçálio, mas que também é a imagem em miniatura no feed das pessoas quando um amigo posta ou curte esse evento. Aproveite-se disso e uso uma foto customizada para cada evento, e assim eles vão ser facilmente diferenciáveis. Use o serviço de fazer tags com a localização sempre, para que seus fãs possam ver no celular o mapa de onde é a casa noturna. Inclua informações como preço, hora do show e classificação etária. Use as palavras chave ligadas ao seu estilo de música e à cidade onde vai acontecer o show.

Trate cada show como evento—não só como um show. Isso pode ficar cada vez mais difícil, conforme você for marcando mais shows, mas pense em fazer coisas como esses exemplos:

– Show para lançamento de videoclipe!

Jonny Carroll volta à cidade de Grand Rapids

– Trens e Trovadores—Uma noite de música Folk de viajantes americanos

Todos esses títulos são mais interessantes do que “Jonny Carroll toca no Lantern Coffee.” Especificar o que vai acontecer na noite chama mais pessoas. Dar a cada show um senso de unicidade vai fazer as pessoas se engajarem mais do que um monte de eventos com um texto crtl C + crtl V, iguais em tudo menos no nome da cidade onde vai ser o show. Listas interessantes assim viram um respiro num feed cheio de eventos que se parecem.

screen-shot-2016-11-01-at-3-53-40-pm

 

  1. Crie uma equipe especializada em eventos.

Se você está em turnê, provavelmente não vai ser a única banda a se apresentar naquele lugar naquela noite. (Se for, confira este post de como evitar tocar para um salão vazio). Envolver as outras bandas e os promoters vai aumentar muito seu alcance.

Marque as outras bandas usando uma tag que começa com @ , e leve o público direto para a página de Facebook dos seus parceiros quando você for mencioná-los na descrição. Isso permite que todas as partes interessadas consigam se conversar mais facilmente. Escreva umas linhazinhas sobre cada uma das bandas: diga de onde eles são, que estilo de música tocam, e coloque uma descrição bem concisa e loucona (“Uma quebrada tristonha que veio de 10.000 léguas ao sul”) ou uma frase que a imprensa publicou sobre seu som (“Esse trio do coração dos EUA faz um folk-rock perfeito para as tavernas.” -Willamette Week).

Peça que cada grupo eleja um representante para a página do evento. Adicione esses representantes à sua página pessoal no Facebook. Isso permite que você os coloque como anfitriões do evento também. Ofereça isso também para os promoters ou para os empresários –eles podem conhecer gente que curta esse tipo de evento.

Isso não só vai fazer com que haja mais gente para responder às dúvidas dos fãs, como que horas toca que banda, qual é a classificação etária etc., mas também  cria uma possibilidade de as bandas estarem na mesma página (trocadilho consciente) quanto às informações do evento. Ter esse contato nas redes sociais também permite que seja mais fácil se conectar com os administradores do evento da próxima vez que você for para essa cidade. Considere isso como regra: as pessoas respondem mais rápido a uma mensagem mandada para o seu perfil pessoal do que uma mandada para uma página de Facebook.

Esqueceu o nome de algumas pessoas que conheceu no show? Dê uma passada na lista de “quem foi” —a um jeito simples de manter contato.

  1. Personalize.

Uma ferramenta que poucos conhecem no Facebook é a possibilidade de buscar um amigo de acordo com a localização dele. É só digitar na barra de busca “Meu amigo que mora perto de Indianapolis, IN.” É claro que a eficiência dessa busca vai depender de quão ampla é sua rede. Mas, se você já fez alguma turnê, pode se surpreender. Com essa lista aberta em uma aba do computador e seu evento aberto em outra, convide cada uma dessas pessoas, nominalmente, para aparecer. Fazer o convite assim traz uma série de benefícios:

  • Cada convidado recebe um aviso de que foi convidado
  • A página do evento vai pedir que os convidados façam o RSVP (digam se vão ou não), se ele não responder assim que for convidado
  • A página do evento vai lembrar o convidado automaticamente no dia do evento, sem se importar se ele ou ela aceitou ou não seu convite (a não ser que tenha dito explicitamente que não vai)
  • Os convidados serão notificados a cada vez que o anfitrião do evento adicionar algo na página, o que vai manter o evento no radar deles
  • Confirmações de presença serão mostradas num contador, o que pode animar outras pessoas a irem

Incentive os outros administradores do evento a fazer a mesma coisa. Depois tente engajar os convidados. Faça posts no evento. Coloque links para faixas no Soundcloud, videoclipes e notícias sobre sua banda e as outras. E lembre-se que, online,  qualquer formato de post vai engajar as pessoas mais que um textão.

Você já tocou nessa cidade? Poste na página do evento antigo, avisando que vai voltar e fazendo elogios.

“Olá, Columbus! A gente está voltando para você! Encontre com a gente no mês que vem na Woodlands Tavern!” Sua foto do evento novo vai aparecer no evento antigo, e todos que estão na lista antiga de convidados serão notificados— outra oportunidade de entrar no radar deles.

14435192_1183806111661383_1376208722568717522_o-1024x680

PC: JustJess Photography

  1. Seja persistente e consistente.

De acordo com o site Entrepreneur, os millennials, gente nascida depois de 1990, confere seus celulares 43 vezes por dia. A Social Media Week diz que esse número é, na real. 157. A TNS Global reporta uma média de 3,2 horas por dia na frente da telinha do celular —cerca de um dia por semana. É de se estranhar então que, quando você marca um show no Brooklyn, reposta o evento um dia antes de ele acontecer e seus amigos do Brooklyn te perguntem no dia seguinte: “Você esteve na minha cidade?”

As pessoas conferem sem parar seus telefones. Não fique acanhado de ser persistente. Você pode já ter postado esse link dez vezes, mas seus amigos devem ter visto uma vez só, se muito—especialmente com o algortimo enlouquecedor do Facebook, que prioriza posts feitos por página, uma estratégia criada para obrigar os administradores de páginas a investir em anúncios. Sem querer, isso acaba prejudicando muito campanhas de crowdfunding. Qual é a pior coisa que poderia acontecer se você for insistente? Talvez um amigo para de seguir suas publicações, mas ele já não iria no seu show de qualquer jeito.

Use de bom-senso aqui. Lembre-se que existe, sim postar demais. Conseguir que outros membros da banda ou que fãs compartilhem o link para você vai tirar o fardo da divulgação das suas costas, mas também vai fazer a notícia chegar a pessoas que até então não chegaria. O boca a boca é sempre o marketing mais eficiente.

Poste seu evento no perfil da casa de shows, dizendo que está animado. Se a casa de shows compartilhar, de novo você vai chegar a mais gente.

Quanto mais usuários verem um show aparecendo no seu feed, mais vão interpretá-lo como um evento sério.

O Facebook é a plataforma perfeita para conectar artistas e seus fãs? Não. Mas, conhecendo os seus defeitos e nuances, podemos usar esse meio que não é perfeito em seu potencial máximo. Trate seus shows como se fossem eventos. Trate páginas de eventos como se fossem site. Envolva todo mundo no processo. Não ache que você está acima de procurar fãs e amigos individualmente. E não se preocupe com entulhar o feed de notícias dos seus fãs: eles te seguem por um motivo. Consiga que eles apareçam no seu show, e continuem vindo.

Ganhe Dinheiro Guide

 

Comente

Seus email não será publicado.