Os 5 erros na hora de cantar agudos e como evitá-los

Você anda forçando a sua garganta na hora de atingir aquelas notas mais chatinhas? Pois saiba que há técnicas bem simples pra te ajudar a alcançar aquele agudo safado sem perder o fôlego! Vem cá conferir!

Os 5 erros na hora de cantar agudos e como evitá-losPor Lorna Earnshaw

Atingir as notas agudas é geralmente o maior desafio para os cantores. Parece que tudo está sob controle até a hora de cantar as notas mais altas! Pensando isso, resolvi abordar aqui os 5 erros mais comuns na hora dos agudos.

1. Fazer força

Se você estiver fazendo força, você estará necessariamente cantando errado. Quanto mais força você empenhar nos agudos, menos possibilidades terá de alcançá-los. Técnica vocal é o contrário de força. Quanto mais técnica você tiver, menos força você usará. Estudando técnica vocal, seu cantar fluirá de forma automática.

2. Gritar

O agudo, naturalmente, tem mais impedância, um maior ganho. Até por isso, o melhor é que você se afaste do microfone (que não fique “colado” nele ao cantar as notas altas). Mas isso não quer dizer que o agudo deva ser “gritado”.

Se você não conseguir cantar agudos sem gritar isso se deve a que você precisa aprender a controlar as duas características do sopro. Elas são:

a) Quantidade de ar

b) Pressão de ar

Quando for cantar agudos, é preciso utilizar esta receita: MAIS PRESSÃO e MENOS QUANTIDADE de ar. Quando não temos uma voz “trabalhada” nos fundamentos da técnica vocal, não conseguimos separar dessa forma os “ingredientes”. Por isso, soltamos MUITO ar com MUITA pressão, e POUCO ar com POUCA pressão!

Por isso, muitas vezes os cantores soltam muita quantidade de ar quando apenas precisaria muita pressão. Por isso o agudo fica gritado!

Por outro lado, quando o agudo fica gritado isso também tem a ver com uma questão de ressonância: em vez de colocar a ressonância na máscara, o cantor usa uma ressonância completamente oral. Portanto, para cantar agudos sem gritar você precisa aprender utilizar a ressonância na máscara.

3. Mudar o timbre da voz quando estamos fazendo a nota aguda

Muitas vezes quando os cantores não têm vocal técnica vocal a dificuldade de emitir os agudos acaba aparecendo no fato de que o timbre (característica da voz) muda completamente na hora das notas agudas.

Por exemplo, pode acontecer que o cantor esteja cantando uma música com a voz plena e de peito durante o verso, mas na hora do refrão, quando chegam as notas agudas, o vocalista muda para uma voz “assoprada” porque de outra forma não consegue atingir os agudos.

Claro que eu posso usar isso como um elemento embelezador – mas somente se for propositalmente, e não por uma limitação de não conseguir emitir a voz plena. A idéia é que a nossa voz seja apenas uma e que o nosso timbre seja uniforme, ao longo de toda a extensão (notas graves e agudas). Por exemplo, quando tocamos um piano, o timbre é sempre o mesmo e não percebemos que o instrumento esteja fazendo um esforço extra para executar as notas mais altas.

4. Levantar a cabeça para cantar agudos

Ao cantar os agudos, a nossa laringe sobe naturalmente e por isso muitas vezes acabamos caindo na tentação de levantar a cabeça.

No entanto, o ideal é evitar levantar a cabeça e mantê-la reta, estável, e alinhada com o pescoço. Além disso, é bom “jogar o queixo para baixo” (abrir somente verticalmente – não horizontalmente a boca). Dessa forma eu crio um espaço para que a laringe “suba”. Se, ao cantar agudos, eu não fizer isso nem levantar a cabeça, estarei “esmagando a minha laringe” – e provavelmente vai sair um som estrangulado sem o espaço correspondente.

5. Recolher a língua

Muitas vezes os cantores puxam a língua para trás nos agudos.

Isso se deve, basicamente, à tensão. Eu preciso que, enquanto eu estiver cantando as vogais, sempre a língua esteja bem relaxada atrás dos dentes de baixo, parecendo um “tapetinho”.

Acabamos encolhendo a língua porque não temos um suporte respiratório bom. Essa falta de suporte acaba criando uma compensação: na nossa laringe, fazemos força, e isso acaba criando uma tensão, que faz com que a língua se recolha para trás. Isso prejudica porque, com a língua encolhida, não temos espaço para criar uma boa ressonância. Então, o som fica “pequeno”.

O que achou dessas dicas da Lorna? Se você também tem boas dicas para compartilhar com a comunidade deixe um comentário aqui embaixo.


Os 5 erros na hora de cantar agudos e como evitá-losLorna Earnshaw é cantora, compositora e professora de canto há 13 anos. Ela ensina técnica vocal no Certificate Program da Cornel School of Contemporary Music, na Universidade Shepherd de Los Angeles, Estados Unidos, e já ajudou a cantar melhor a mais de 45.000 pessoas na Internet.

Se ainda você não se inscreveu num dos cursos de canto dela, comece por aqui e baixe grátis ‘COMO CANTAR MELHOR: OS 8 ERROS QUE O IMPEDEM DE CANTAR NOTAS AGUDAS E COMO CORRIGI-LOS”.


Ganhe Dinheiro Guide

3 Comentários

  1. jairodosteclados@live.com'
    by Jairo on setembro 29, 2016  00:01 Responder

    Olá, Lorna! Boas dicas! Parabéns!!!

  2. gerson2016@UotLet.com'
    by Gerson Barreto da silva on outubro 9, 2016  13:55 Responder

    Muito bom.
    Se vier com video, melhor.

  3. srsenacolasso@gmail.com'
    by Sandra Regina on outubro 16, 2016  10:57 Responder

    Tenho muita vontade de aprender a cantar bem para Deus!

Comente

Seus email não será publicado.