Músicos, CUIDADO — NÃO VIREM meieiros digitais

O artista tem de ir aonde o povo está. E o povo está no Facebook e em outras mídias sociais. Mas saiba por que você não deve colocar todos seus esforços nesses sites, ou pode acabar sendo um boia-fria, sem nem perceber. Como? O SomosMúsica te explica

Músicos, CUIDADO — NÃO VIREM meieiros digitaisPor Chris Robley

Um artigo interessante da Copyblogger no mês passado dicutiu o sistema de meieiros digitais, que é quando o criador do conteúdo dá duro para fazer coisas bacanas e depois empresas como Facebook, Google, Pinterest, entre outras, colhem o fruto financeiro colocando esse conteúdo de graça nas suas plataformas.

Como explica a autora do artigo, Sonia Simone:

O termo meieiro se refere a práticas comuns nos EUA após a Guerra Civil [e no Brasil até a década de 1980], mas é basicamente a mesma coisa que feudalismo. Um grande dono de terras permite que agricultores individuais trabalhem na sua terra e tomam para si a maior parte do lucro gerado com a colheita.

O latifundiário tem todo o poder. Se ele decidir se livrar de você, você perde seu ganha-pão. Se ele decidir aumentar as taxas que cobra, você vai passar (um pouco mais) de fome. Você faz todo o trabalho e ele fica com a maioria do lucro, te deixando com migalhas de onde você tem de tirar seu sustento.

Uma coisa parecida está acontecendo agora, na Web 2.0.

Você posta suas músicas, vídeos, fotos e frases geniais, além de textões e dicas de como gravar música — tudo de graça — e quando você consegue levar audiência para esses conteúdos no Facebook, Google, Snapchat, Twitter, Instagram, ou qualquer outro site que não seja seu, é a empresa gigante de tecnologia que sai lucrando.

Você deveria estar presente nessas plataformas? Mas é claro. Você tem de pagar para se promover nessas plataformas? É claro (se isso gerar resultados). Você deveria concentrar seus esforços no Facebook, YouTube ou qualquer outro site que não seja da sua propriedade? É claro QUE NÃO.

Nós já falamos no passado sobre como uma página de Facebook NÃO é um site. Você precisa de um quartel-general para a sua música na internet, onde você tenha controle da experiência e do design da coisa toda. Mas há outra razão para você não confiar 100% nessas plataformas sociais; como a Sonia Simone bem aponta, os latifundiários — ou, neste caso, as plataformas sociais— podem eventualmente ser substituídos (para servir de lembrete, é só pensar na rede social que você mais amava e hoje é defunta).

Você pode gastar muito tempo e muito dinheiro fazendo marketing da sua música nesses sites só para depois perder a conexão com seus fãs, seja porque uma dessas empresas muda as regras do dia para a noite, ou porque seus seguidores todos trocam de rede social do dia para a noite.

Aqui vai o que a Sonia Simone recomenda que você faça:

O Facebook, Google, LinkedIn, Twitter, Pinterest e muitos outros sites sociais são todos ferramentas excelentes para você adicionar ao seu mix de marketing.

Mas o segredo é gastar a maior parte do seu tempo e da sua energia construindo ações que estão dentro do seu controle.

Há três “assets” que você deveria começar a construir a partir de hoje, e deve continuar enquanto tiver uma vida digital:

  1. Um site com bom design e que seja sedidado num host só seu
  2. Um mailing em que as pessoas possam inscrever seus endereços de e-mail com uma ferramenta de autorresposta bem boa
  3. Uma reputação de fazer conteúdo de grande valor

Desenvolver essas ferramentas é o equivalente a comprar um apartamento em vez de pagar aluguel todo mês

Você investe muito tempo e esforço nos seus negócios — não coloque tudo em risco ao colocar seu quartel-general em um terreno alugado.

Confira a íntegra deste artigo, em inglês, no Copyblogger AQUI.

Você já sofreu ao fazer o papel de meieiro digital? Conte para a gente na seção de comentários, aqui embaixo.

 

5 Comentários

  1. cesargianini@yahoo.com.br'
    by Cesar gianini on outubro 9, 2015  16:30 Responder

    EU excluí meu site pois estava tendo mais acesso com o blogspot. ..

  2. billramosviolaoevoz@hotmail.com'
    by Bill Ramos on outubro 11, 2015  13:36 Responder

    Olá! muito boas essas informações passadas por SOMOSMUSICA, mais para vocês abraçar um projeto existem alguns passos que deveriam serem mais acessíveis, eu sou um músico que trabalho na noite, tenho um conteúdo musical que considero bom para comercio cultural, as musicas que fazem milhões hoje no Brasil não oferecem nada para acrescentar na vida de jovem, uma boa parte da população considera um verdadeiro lixo, o assunto mais abordado por seus autores é SEXO e DROGAS infelizmente, como mencionei antes, para eu fazer parte da CDBABY tenho que pagar as taxas que são cobradas em EURO ou DOLAR, não chegou ao meu conhecimento que eu poderia imprimir um boleto para pagar em uma agencia Bancária aqui no Brasil, existe uma forma de pagamento só se eu tiver um CARTÃO DE CREDITO para ser cobrado as taxas, já vocês estão nos contando essas informações que são reais, então busquem facilitar mais esse acesso a parceria junto a vocês, essa facilidade vai ajudar a pessoas que não tem milhões para gastar em grandes midias e quem sabe conseguir ter uma qualidade de vida melhor fazendo o que gosta e ama assim igual eu, sou pai de família, tenho minhas obrigações de chefe de família, para conseguir dar o sustento merecido para minhas duas filhas, minha esposa trabalha 12:hs em uma empresa de portaria, de 24:00hs do dia são administradas assim, 4:30hs ida e volta para o trabalho, 12:00hs para dedicar toda sua energia em seu trabalho, de 24:00hs estão restando 7:30hs, isso deixa um desgaste enorme, comigo não é diferente, viver só de música não dar para ter uma condição suficiente para pagar a faculdade da minha filha, também trabalho de motorista, sempre saio as 6:00hs da manhã e chego depois das 21:00hs, tiro pelo ao menos 2:30hs por dia para me dedicar a música, sempre tem alguma coisa pendente, tenho que ter um raciocínio rápido para decisões importantes, se eu tenho uma fonte extra dentro da música certamente eu iria me dedicar porque sou muito ligado em música, me sinto muito bem quando estou fazendo meu trabalho, o palco fica como se foce minha casa, realmente me sinto a vontade, desculpem meu desabafo, mais o escrevi aqui foi para buscar mais conhecimento e esclarecer para vocês alguma coisa que pode ser feito para nós músicos que estamos aqui no Brasil, estou falando mais de mim, obrigado por enquanto.

    Bill Ramos

    • by Marcos Chomen on outubro 28, 2015  18:09 Responder

      Bill, entendemos perfeitamente como é a vida de um música independente. A grande maioria dos funcionários do CD Baby são artistas independentes e trabalham no CD Baby para complementar as contas. Estamos estudando uma forma de pagamento em Boleto Bancário, porém não é só o pagamento do artistas para usar o serviço que é feito em cartão de crédito mas também o pagamento que fazemos para o artista de suas vendas (pois você tem que ter uma forma de receber o que vendeu)! Nosso método de pagamento é o Paypal que aceita conta bancaria de alguns bancos, então você não precisa necessariamente ter um cartão de crédito. Vamos em frente e parabéns! Quem ama música faz tudo por ela! Abs!

  3. Dtpguitar@gmail.com'
    by Daniel Padim on outubro 13, 2015  00:55 Responder

    Estou gostando do blog de vocês. Existem varios blogs sobre esses assuntos e muitos deles discutem temas que não tem muita utilidade pro pessoal independente com uma fanbase ainda pequena.
    Vocês estão lançando artigos bastante uteis de forma geral. Parabéns.

    • by Tracey Gill Miller on outubro 13, 2015  23:16 Responder

      Obrigada pelo comentário!

Comente

Seus email não será publicado.