Grupo Cabezas Cortadas fala sobre carreira musical

A banda paulistana Cabezas Cortadas utiliza os serviços do CD Baby e, apesar do pouco tempo de estrada, vem alcançando bons resultados desde que lançou o seu primeiro disco, no ano passado. Aproveitamos o momento e conversamos com o vocalista Le Maga, que nos contou um pouco da história da banda e dividiu as suas experiências.

le-maga-cabezas-cortadas
Na sua opinião, qual foi o grande passo que vocês deram na carreira que fez com que a banda atingisse um maior número de pessoas?
O Cabezas Cortadas é uma banda nova, com menos de um ano de existência. Fizemos um caminho totalmente nosso, todos os músicos envolvidos já tinham muita experiência e estrada, então criamos a banda em estúdio, gravamos o primeiro CD sem nunca termos tocado ao vivo. Eu creio que esse tempo de pesquisa e aprimoramento musical deu uma cara muito própria ao grupo. As pessoas que têm curtido a banda perceberam isso, que buscamos uma qualidade estética acima de qualquer coisa. Acreditamos nesse caminho pra conquistar os ouvintes, pra não deixar dúvida. Não vamos lançar nada que não seja com essa postura de trabalho.

O Cabezas Cortadas tem bastante views no Youtube. Poderia dar dicas de divulgação de vídeos para as bandas?
O que rolou e deu um impulso aos clipes foi a exposição na Uol, que lançou com exclusividade. Outra coisa foi a entrada do clipe “Na Calçada” na programação da Globo Internacional. Isso deu um impulso fora do Brasil de visualizações. Agora, a internet é uma ferramenta de compartilhamento que tem que ser usada com intensidade, se não, não rola nada. Uma dica é contar com as redes sociais para divulgar, tanto o canal pessoal como o da banda.

Você pode nos dizer como funciona o processo de composição em dupla com o guitarrista Charles?
Eu e o Charles estamos juntos há oito anos, compomos muitas músicas nesse período. Normalmente, no processo, eu venho com letra e melodia prontas, e ele faz o arranjo e harmonia. Temos formação muito distinta que creio ser o que fica mais legal. Ele é um erudito com formação em violão clássico e eu, pura intuição, sem formação musical formal.

Poderia dar três dicas para os vocalistas cuidarem de suas vozes?
1. Não fumar, ou não fumar muito.
2. Aquecer a voz antes de ensaios e shows. Existem muitos exercícios que funcionam muito bem e bons profissionais que trabalham com esse segmento.
3. Cante a sua verdade, cante no seu tom, isso também ajuda muito a preservar a voz.

Qual a importância de um serviço como o do CD Baby para uma banda independente?
O CD Baby é tudo que o artista independente precisa, tem um valor super-honesto, e o artista consegue disponibilizar suas músicas com um bom preço e com um bom suporte de operação. Creio que a soma de um bom trabalho em redes sociais, shows, exposição na mídia e o CD disponível no CD Baby criam uma corrente para o artista poder se tornar dono de sua carreira com garantia de qualidade e profissionalismo. O CD Baby traz essa questão fundamental à tona, profissionalismo musical e de empreendimento artístico próprio.

Twitter Guide

Comente

Seus email não será publicado.