Faça passagem de som nos seus ensaios para melhorar sua banda

Passar pra que, se você já sabe o que fazer? O Romário não tinha toda razão quando dispensou o treino. E você não deve dispensar a passagem de som, mesmo quando estiver ensaiando. O SomosMúsica te conta o motivo.

Faça passagem de som nos seus ensaios para melhorar sua banda[Este post foi escrito por Alex Andrews, daTen Kettles Inc. Ele apareceu originalmente, em inglês, AQUI. Confira o novo app de teoria musical da Ten Kettles — “Waay: Music theory that matters.” Clique aqui para saber mais das aulas em vídeo, exercícios interativos, ferramentas que medem o progresso das faixas e mais.]

Você acabou de chegar ao ensaio, e é claro que está ansioso para pular de cabeça. Você liga seu instrumento, entra já no meio da música e… mal consegue ouvir seu instrumento. Então você aumenta seu volume, mas… o baterista diz que agora está alto demais. Daí, a vocalista reclama que o microfone está dando choque na sua cara e, além de tudo isso, você não consegue deixar de notar que o baixo está com o som de um besouro dentro de um balde. Essa cena é familiar? Se é, você deveria começar a fazer teste de som antes de ensair. Este artigo te explica como.

Primeiro, para explicar a razão deste texto, vamos presumir alguns fatos:

* Sua banda tem uma instrumentação típica de “banda de rock”: bateria, baixo, guitarra e vocal.

* Todos os instrumentos usam amplificadores, menos a bateria. (O que quer dizer que os vocais passam por uma placa de som e saem por alto-falantes.)

Mesmo que sua situação seja ligeiramente diferente, muito do que se dirá daqui para a frente vale para você, então continue lendo.

Alto-falantes

Assim que você entrar no espaço de ensaio, uma das primeiras coisas em que tem de pensar é onde estão os amplificadores. Certifique-se de que essas duas coisas estão acontecendo simultaneamente:

  1. Cada amplificador deve estar voltado para a cabeça da pessoa que o está usando para tocar, ao menos a uns dois metros de distância. Tem um amplificador pequeno que está apontado para seus joelhos? Coloque-o numa cadeira.
  2. O amplificador do baixo deve estar voltado para o baterista, mesmo que parcialmente.

Isso vai resolver um bocado de problemas. Tipo aquele caso em que você não consegue ouvir seu instrumento, mas os colegas de banda dizem que ele está super alto? Colocar o amplificador no lugar certo vai ajudar a resolver.

Passando o som

Depois de os amplificadores estarem resolvidos, aqui vão três passos para a passagem de som:

  1. Bateria e baixo. Se a bateria for o único instrumento que não usa amplificador, então ela tem de ser o ponto de referência para todos os outros instrumentos. Peça para que o baterista e o baixista comecem a tocar juntos, e ajuste o volume do baixo para que ele soe bem com a bateria. O botão de volume do instrumento deve ficar por volta de 80%, ou um pouco mais alto, e depois não ser mais modificado. Faça todas as mudanças de volume no amplificador. Em seguida, dê uma diminuída nos sons graves do amplificador do baixo (talvez uns 30% para começar) para deixar espaço para as vozes e guitarras. O baixo tem de soar só um tico apagado quando estiver sendo tocado apenas com a bateria. Isso é bom: significa que há “espaço” no som para todos os outros instrumentos entrarem.
  2. Guitarras e teclados. Sua bateria e seu baixo estão com o som certo, então é hora de entrar com as guitarras. O principal objetivo aqui é evitar um som pastoso, porque quando um baixo se junta a dois ou três instrumentos de médio alcance, tipo guitarras ou teclados, tudo tocando junto, é capaz que fique pastoso se você não for cuidadoso. Comece abaixando os sons graves da guitarra e do teclado para uns 30% (para começar) e dê espaço para o baixo. Agora toque todos os instrumentos juntos de uma vez, e ajuste o volume da guitarra e dos teclados para que tudo esteja balanceado. Se você não tem certeza se sua guitarra está alta ou baixa demais, compare-a com a bateria. A bateria sem amplificador é um bom parâmetro de comparação.
  3. Vocais. Comece conseguindo um som decente de vocal. Para isso, uso os equalizadores gráficos da placa de som para tirar a frequência lamacenta (entre 250 e 500 Hz) e aumentar a frequência (cerca de 4 kHz). Com alguma prática, seu vocalista vai aprender quais são os truques de equalização para fazer sua voz ficar a melhor possível, e essa passagem de som ficará cada vez mais rápida. Vocalistas masculinos tendem a não ir para abaixo de 80 Hz, e para vocais femininos, o limite costuma ser na casa dos 160 Hz, então evite sair dessa faixa usando um filtro de frequência alta para manter o sinal claro. Quando ouvido por si só, o vocal deve soar um pouquinho leve demais e escasso. Agora é a hora de juntar todos os componentes e chegar à equalização conjunta.

Depois que você tiver alguma prática passando o som em ensaios, vai conseguir fazer isso num piscar de olhos, ainda mais porque todos os membros vão saber onde colocar amplificadores, conhecer seus instrumentos mais de perto e passarão a ouvir os colegas de banda com mais cuidado. Não há razão para não passar o som em todo ensaio.

E é isso aí! Agora, se você está a fim de treinar seus ouvidos para reconhecer frequências diferentes—e eu espero que esteja, porque isso é super útil para Equalização de shows ao vivo, suas gravações e outras—nós bolamos uma ferramenta para ajudar seus ouvidos. Se você tem um iPhone ou iPad, confira o HearEQ.

 —

Quem é a autora: Alex Andrews é engenheira, música e toca a Ten Kettles Inc, em Toronto, Canadá. Ten Kettles  é uma empresa que faz apps para educação musical. Seu aplicativo mais recente, “Waay: Music theory that matters,” traz aulas em vídeo, exercícios interativos e ferramentas para ensinar teoria de música. Saiba mais aqui.


Twitter Guide

1 Comentário

  1. regvalerio@yahoo.com.br'
    by Renato Valério on dezembro 12, 2016  10:52 Responder

    Muito bom! Deu pra ter uma ótima ideia agora vamos para pratica! Forte abraço!

Comente

Seus email não será publicado.