Como Ganhar Um Dinheiro Extra Trabalhando Para Musicais de Teatro

Vá ao teatro e me chame: o blog CD Baby te ensina a ganhar dinheiro e conhecimento trabalhando em musicais do teatro

shutterstock_64347382-300x230[Este post foi escrito pelo compositor premiado Justin Jude, que se apresenta em musicais com frequência]

Compor músicas e tocar com bandas está parecendo … familiar demais? Procurando expandir seus horizontes musicais? Você pode estar ignorando trabalhos em musicais de teatro, um ótimo jeito de aprender.

Trabalhar em bandas ou orquestras de teatro musical pode expandir seus horizontes. Trabalhar no fosso do teatro, onde ficam os músicos, pode ser um emprego estável, uma fonte de renda extra, uma maneira de melhorar seus dotes e um monte de diversão.

Tocar no teatro não é tocar num bar. Fica entre um show num bar e acompanhar uma filarmônica. Você pode ter de acompanhar um maestro e terá de acompanhar com harmonia o resto do grupo, apoiar o trabalho dos atores e em muitos casos ler música da partitura.

Esses trabalhos vão de banda de um homem só num espetáculo pequeno, uma banda de rock no palco, a estar numa orquestra completa, com cordas e percussão. Não importa qual seja o trampo, trabalhar em teatro musical vai polir seu trabalho como músico.

Eu recentemente voltei ao trabalho de teatro depois de anos no mundo da composição e dos shows. Aqui vão algumas dicas que aprendi e que podem ser úteis para esse universo.

Precisão

Algumas bandas ganham quando improvisam, jazem jam sessions durante as músicas e desenvolvem as canções sem percurso definido.

Trabalhar no teatro musical é o contrário.  Precisão é a regra do dia. Você vai receber a ordem de fazer um show idêntico ao outro, exatamente como ele foi escrito e conduzido. Para aqueles de nós que gostam de música por ela ser mais soltinha, isso pode ser um ajuste a ser feito.

Por exemplo, no meu trabalho atual como guitarrista de CATS  no teatro Broadway Rose a diretriz é que eu toque passagens superprecisas, mudando selvagemente entre dedilhadas simples e ritmos complicados. Alguém quer tocar em 13/8, galera? Não há espaço de improviso neste tipo de show — as coisas devem ser tocadas como elas foram escritar.

As boas novas é que isso é um jeito excelente de melhorar seu ofício. Quando você for fazer seu próprio som, há uma tendência de não nos obrigarmos a superar nossos limites. “É, eu queria muito que esse trecho da música tivesse uma levada de 160 bpm … mas isso requereria treino.”

Quando somos obrigados a fazer algo, progredimos mais do que se estivéssemos fazendo isso sozinhos.

Ler Música

Ler música em partituras não é um pré-requesito de todos os trabalho em teatro musical. Mas certamente ajuda.

Ainda assim, há situações em que você consegue o emprego mesmo sem saber ler música. Depende, geralmente, do tamanho da produção.

Shows em menor escala tendem a usar bandas menores ou só um acompanhante solo. Nesses casos, é possível saber as notas de cor. Ou as músicas podem ser completamente novas e você pode acabar ajudando o compositor a fazer arranjos.

Por exemplo: para a peça Ribbons of War, eu ajudei o diretor a adaptar canções de um álbum da banda The Extraordinaires. Criamos as partituras e bolamos arranjos. E daí tocávamos essas canções juntos, como um duo, no show.

Mais comumente, vão pedir que você aprenda músicas de partitura. Se ler música não é sua maior qualidade, você pode sempre ouvir as gravações das canções das quais foram adaptadas. Para a maioria dos shows da Broadway, há várias versões disponíveis em streaming na internet, como o Spotify ou o YouTube. Por exemplo, para meu papel de Chefe da Banda em Bloody Bloody Andrew Jackson, a gravação da guitarra tinha algumas inconsistências. Ao ouvir a gravação da primeira montagem da peça, consegui preencher essas lacunas, e ter uma noção do estilo e do ritmo do guitarrista original (que também foi co-autor da música).

Saiba tocar piano e tenha trabalho

Há grandes oportunidades para pianistas por aí, simplesmente porque o teatro precisa de acompanhamento no instrumento para ensaios.

Na maioria dos musicais, a banda só entra no fim do período de ensaios. Quando os atores estão já na prova feita com o figurino, a banda faz sua primeira leitura, depois corre atrás de todo o tempo perdido com o elenco. Você pode ter só dois ou três ensaios com os atores antes da estreia.

Mas o elenco precisa de acompanhamento de piano durante todo o processo de ensaio. Pianistas com charla podem conseguir de 6 a 8  semanas de trabalho, em vez de apenas de 3 a 4. E já que acompanhadores traquejados não caem de árvore, um ou dois trabalhos podem acabar virando uma profissão.

Profissionalismo

É bem simples: Conheça a música. Apareça na hora. Tenha flexibilidade.

Como eu disse antes, a banda ou orquestra é trazida já no fim do ciclo de ensaios. Isso significa que, diferentemente dos atores, você não vai aprender sua função com o grupo durante três ou quatro semanas. Você precisa aparecer pronto para tocar. Algumas dicas para isso:

- Consiga as músicas antes. Se permita algumas semanas para aprender seu papel. Se você não lê música, encontre um professor ou colega talentoso para te ajudar a decifrar. E ouça as gravações da peça que já tiverem sido feitas na Broadway.

- Apareça na hora. Há dezenas de peças para um espetáculo de teatro funcionar, e uma pessoa atrasada pode encralacar todo o ensaio. E acredite em mim que você não quer se indispor com o gerente de palco ou com o diretor do espetáculo, que esses profissionais têm memórias longas. Esteja onde você precisar estar. Se precisar ligar amplificadores, apareça adiantado.

- Tenha flexibilidade. O diretor musical pode interpretar as passagens de um jeito diferente daquele que você tinha esperado, ou pedir que você ajuste seu estilo de tocar. A resposta correta é sempre “Sim.”  Porte-se como alguém sempre disposto a fazer aquilo que for melhor para o espetáculo, mesmo que você discorde. Se você agir profissionalmente, será contratado de novo.

Pagamento

A tabela de pagamento vai variar de acordo com o teatro e com a cidade. Companhias maiores e mais antigas tendem a pagar por serviço  — a taxa por ensaio ou apresentação em Portland fica geralmente entre US$ 60 e US$ 75.

Companhias menores ou com orçamento enxuto podem oferecer uma paga única. É você quem decide se está disposto a tocar e receber só no fim, lembrando que produções teatrais consomem tempo; tem 4 ou 5 shows por semana e duram 3 ou 4 semanas.

Ainda assim, acho que toda oportunidade de tocar no teatro é uma experiência de aprendizado. Eu toco por menos dinheiro do que gostaria se acho que a experiência vai me ajudar na carreira.

Mas, se te pedirem para pagar para tocar, sempre  suspeite.  Há pouquíssimas razões aceitáveis para um músico ter de contribuir para um espetáculo com grana. Decline.

Como Fazer Contatos

Não importa onde você estiver, haverá companhias e grupos montando musicais. Ou peças com música. Ou performance.

Minha tática é marcar conversas informativas com diretores musicais, gerentes de produção ou mesmo assistentes de produção das trupes com quem você quer trabalhar.

Como em qualquer outro networking, aqui se trata de se mostrar e mostrar seus talentos. Faça seu nome circular com essas reuniões. Ter um currículo polido, com suas experiência musical e prêmios, também ajuda.

Um trabalho de sucesso puxa o outro. Diretores de teatro gostam de trabalhar com pessoas que conhecem, ou que foram recomendadas por seus pares. Então trabalhe para entrar nesse negócio, vire um profissional, e mais trampos aparecerão.

Boa sorte na exploração do mapa do teatro musical!  É uma jornada selvagem, de South Pacific a Sweeney Todd – recompensadora, lucrativa e que vai te ajudar a crescer como artista.

Justin Jude é um cantor e compositor ganhador de prêmios que também é músico, diretor, professor, múlti-instrumentista e blogueiro ocasional do CD Baby em Portland, nos EUA. Ele recentemente interpretou o Bandleader na produção da companhia Portland Playhouse de Bloody Bloody Andrew Jackson, e atualmente toca guitarra no teatro Broadway Rose, em  CATS. Em seguida, ele vai dirigir a música de  A Christmas Carol na Portland Playhouse. Entre seus prêmios estão “Melhor Cantor e Compositor de Oregon” (2007), “Finalista no Compositor do Ano” (Portland Songwriters Association, 2009) e uma caneca de café onde está escrito “Melhor Pai de Todos os Tempos.” Encontre-o em  www.justinjude.com ou mande um e-mail para  justin@justinjude.com.

4 Comentários

  1. dinamusic_jesus@hotmail.com'
    by ednalva cristina on fevereiro 12, 2014  23:04 Responder

    Nossa muito bom,mas ainda estou aprendendo,canto somente na Igreja,ainda nao sei ler partitura.Gostaria muito de aprender a tocar violao e piano,mas as escolas que tem na minha cidade cobram muito caro e so ensinam o basico!Queria eu saber o basico,e trabalhar em um musical.

  2. hiana.cf@hotmail.com'
    by Hiana de Lourdes da Silva Alencar on maio 12, 2014  17:07 Responder

    Oi! Eu gostaria de trabalhar com vocês no teatro, eu canto muito bem, canto todos os tipos musicas e flexibilidade. Estarei disponivel.

    • by Tracey Gill on maio 21, 2014  22:55 Responder

      Olá - não trabalhamos no teatro - somos uma companhia de distribuição de música para os artistas independentes - se você tem as cançãos gravadas você pode registra-las e começar ganhando dinheiro com elas no iTunes, Amazon, Deezer, Spotify, Shazam YouTube y muitos mais

  3. Melomachado2010@bol.com.br'
    by Mariana Melo on outubro 31, 2017  15:38 Responder

    Incrível as informações passadas, tenho um conhecido que toca muito, tem mais de 20 anos na música tocando Tuba, ele ama o que faz.
    Está procurando trabalhos Extras, se parecer algo pra o ajudar ficaria grata.

Comente

Seus email não será publicado.