6 etapas para músicos fazerem uma boa residência de shows

Como se apresentar várias vezes no mesmo lugar e, ainda assim, não cair no marasmo: o SomosMúsica dá seis dicas para melhorar suas residências artísticas

6 etapas para músicos fazerem uma boa residência de showsPor Chris Robley

Transforme sua residência de shows num ritual para fãs!

Residências de show — em que você toca com alguma frequência no mesmo lugar— são um ótimo jeito de “se esticar” musicalmente, ganhar mais fãs leais e também relaxar um pouco na procura por marcar novos shows (já que você vai agendar vários em uma batelada).

Por um lado, esses shows podem ser mais relaxados, já que você transforma o palco em uma espécie de lar longe de casa. Acontecimentos musicais interessantes podem rolar, e você pode estar mais apto a criar momentos memoráveis entre você e seus fãs. Ao mesmo tempo, há ainda muita pressão para manter cada show atraente para os fãs, ou eles podem começar a se entediar e parar de ir.

Eu já fiz alguns tipos diferentes de residências nos últimos dez anos:

  • Todas as noites da semana
  • Uma vez por semana, por um mês
  • Uma vez por mês, por tempo indeterminado

Não importa qual é sua agenda, todas essas residências tinham algumas coisas em comum.

Eis o que você precisa levar em conta para cada uma das residências:

1. Você (e seus fãs) estão nessa a longo prazo

Você não pode julgar o sucesso da sua residência por como foi a primeira (nem a última) noite. Se você está acostumado a fazer shows numa casa noturna local e ter 300 pessoas na plateia, pense na sua residência como a oportunidade de agitar uma festa em que esses fãs podem escolher quando eles vão querer ir. Eles não vão estar todos lá ao mesmo tempo.

Se você tocar uma residência de uma semana, imagine que cada um desses fãs só vai a uma noite dessas sete. E, de repente, seu poder de encher a casa foi diminuído para 40 pessoas por show (ainda que a ideia seja, é claro, transformar cada uma das apresentações da sua residência em um evento que valha a pena ir, para que os fãs apareçam várias vezes).

2. Sua residência deve se importar com: endereço, endereço, endereço

Há muito a se levar em conta na hora de escolher o lugar certo para fazer a residência.

Primeiro, e mais importante: eles sediam residências ali? Se não, você consegue convencer a casa de shows?

Segundo: você (e seus fãs) ficarão à vontade lá? Você vai passar muito tempo nesse lugar, então certifique-se que ele está ao seu gosto, que seus fãs vão curtir o clima, que os funcionários sejam amigáveis, que a comida seja boa, que os drinques não custem centenas de reais etc.

Terceiro: estacionamento! Precisa ter vaga fácil, ou você não verá muitos visitantes voltando depois da primeira vez.

Quarto: tamanho importa. Lembra de alguma sala com capacidade para 300 pessoas e em que você gostaria muito de tocar? Provavelmente ela vai ser grande demais para a sua residência, já que seu poder de arrastar pessoas para o show vai estar diluído em várias noites.

3. Timing é tudo

Uma regra geral é: não há momento certo para uma residência, mas com certeza há um momento certo para os seus fãs.

Durante muito tempo, uma das residências mais populares de Portland, Oregon, acontecia nas tardes de domingo, que eu pensava ser o pior horário da semana. Mas funcionou completamente com os fãs da banda, que saiam para beber e dançar e fingir que o fim de semana não estava acabando.

Se você tem um grande número de fãs que são ‘pessoas de negócio’ (o que quer que isso signifique), talvez seja o caso de marcar os shows para as seis da tarde do meio da semana, e fisgar a galera do happy hour.

Pense no que vai ser melhor para você e para seus fãs, e você talvez consiga transformar a residência num ritual.

4. Variar é dar tempero à vida

Shows de residência são geralmente mais longos: de 2 a 3 horas. Então você não pode tocar o mesmo set de 45 minutos todas as vezes. E também não pode tocar o mesmo set de três horas, hein!

Se você quiser que esses eventos virem um ritual para os fãs, vai precisar de uma coisinha diferente a cada vez. Aqui vão algumas ideias:

  • Inclua algumas músicas cover
  • Faça um set de tributo a alguém (e toque de 5 a 10 músicas do seu artista predileto)
  • Concentre-se cada noite em um álbum diferente seu, seja tocando músicas desse CD em seguida ou intercalando-as durante o show
  • Prêmios! (Faça um concurso de perguntas e respostas ou uma competição temática)
  • Mude os arranjos e a instrumentação: uma apresentação acústica, uma orquestra, samples novos, transições diferentes entre uma música e outra, sessões de improviso mais longas do que o costume etc.
  • e…

5. Os convidados são ouro

O melhor jeito de manter sua residência dinâmica é dar destaque para um artista convidado por noite. Faça parcerias com eles em ao menos algumas músicas, ou no set todo, se for possível. Se sua residência for longa o suficiente, você pode até convidar outro artista para ter seu próprio set: abrir o show para você, fazer um show após o seu ou se colocar no meio de dois dos seus sets.

6 etapas para músicos fazerem uma boa residência de shows

Os convidados são ótimos para residências porque:

  • Você se obriga a mudar criativamente as coisas de uma noite para outra
  • Você tem outro convidado, que vai conseguir trazer fãs para o seu show
  • Isso te dá um outro ângulo para promover o evento — já que você pode virar o foco para o artista convidado (em vez de ficar falando sobre OUTRO DOS SEUS SHOWS).

Eu adotei essa tática em uma residência que fiz no começo do ano, criando um videopôster para cada noite e depois usando ele para destacar o convidado da noite e seu estilo de música.

6. Consistência é a chave

Depois de todo esse papo sobre variedade, essa dica pode parecer contraditória, mas o que eu quero dizer é: não coloque seus fãs numa viagem tão grande que eles esqueçam quem é você.

Toque os hits. É por isso que o público está lá.

Se você é uma banda acústica, não precisa fazer uma noite de heavy metal.

Manter as coisas mudando é ótimo, mas algo que não tem conexão nenhuma com o que as pessoas esperam ver pode ser uma brochada para os fãs –e eles não vão querer aparecer na próxima noite da sua residência.

Bom, esses são alguns pontos importantes das coisas a se levar em conta na hora de bolar uma residência. Vão promover seu show? Isso é uma outra história, mas este blog está cheio de dicas de como promover seu som, então confira!

Algumas coisas que você vai querer fazer:

  • Lembrar-se de agradecer aos fãs que voltam muitas noites diferentes. Eles são essenciais para transformar seu show num ritual.
  • Tirar fotos e vídeos para compartilhar online. Seus convidados podem compartilhá-los também, e ajudar a te divulgar.
  • Use o que há de único em cada noite para sua residência construir uma história, usando as pessoas que estão lá e os eventos que se passam.
  • Incorpore aquilo que você ama no artista convidado. Não fale só sobre você. Fale para o mundo inteiro por que você admira essas pessoas com quem está tocando.

Você faz residências artísticas com frequência? O que é essencial para você? Tem algum fracasso ou vitória que nos possam ensinar algo? Conte para a gente na seção de comentários, aqui embaixo.


 

Comente

Seus email não será publicado.