4 motivos para contratar um engenheiro de mixagem profissional

Você, artista independente, gosta de fazer a composição, a produção, a gravação e a divulgação da sua própria música, e por isso não precisa de ninguém, certo? Nem tão certo. O SomosMúsica dá um toque de um profissional, e um só, que vale contratar para todas as faixas, sob o risco de se dar mal. Quer saber quem é? Vem aqui.

4 motivos para contratar um engenheiro de mixagem profissional[Este post foi escrito por Shachar Gilad, fundador do SoundBetter, um mercado com curadoria para produtores musicais engenheiros de mixagem e de masterização e artistas. Ele também é músico e produtor. Antes do SoundBetter, Shachar trabalhou com ferramentas para músicos, como Waves Audio e Apple ]

Na SoundBetter a gente teve a boa sorte de ajudar milhares de músicos a contratar engenheiros de mixagem profissionais, que transformaram suas gravações em faixas prontas para serem lançadas. Isso nos ajudou a ver como tratar a mixagem, mas também a responder uma pergunta que às vezes nos fazíamos: será que eu deveria contratar um engenheiro de mixagem profissional?

Aqui vão quatro motivos pelos quais a resṕsta é sim.

As pessoas ouvem ‘som’ antes de ouvirem ‘música’

Quando os ouvintes estão procurando uma estação de rádio ou uma playlist que eles vão gostar, cada música tem alguns segundos antes de ser temivelmente ‘pulada.’ E a razão para desistir de uma música é simplesmente não ter a paciência para esperar pela melodia e as letras fazerem sentido. Melodia e letras dependem do contexto e demoram para serem construídas. O que não demora tempo nenhum para avaliar é o som

A gente pode julgar rapidamente uma música, questão de segundos. Nesses segundos, dá para entender de que estilo é a música, se ela é mais calma ou agitada, simples ou sofisticada, se vai de encontro ao nosso ânico, se é interessante e, o mais importante quando se está ouvindo um artista desconhecido – se ela soa profissional ou não.

Se o som nos prende, a gente deixa a música tocar, para dar uma chance à melodia e às letras. E o que faz a maior diferença no som inicial de uma música é a mixagem.

Todas as músicas que você já ouviu no rádio tinham mixagem profissional

Todas as melhores bandas e artistas emprestaram seu maior tesouro para um engenheiro profissional de mixagem, que tinha experiência, talento e objetividade para trabalhar com essa música. Mesmo hoje em dia, muitos grandes músicos que têm estúdios em casa e fazem a produção e a gravação por conta própria ainda terceirizam a mixagem para um profissional.

O processo de mixagem é profundo e requer muita prática e habilidade para ser feito direito. Assim como você deve ter gasto os últimos 10 anos cantando e tocando guitarra para chegar ao nível profissional em que está hoje, um engenheiro profissional de mixagem está treinando mixagem pelos últimos 10 anos. A mixagem faz uma diferença enorme em como uma canção soa quando finalizada. Mais do que como você gravou o solo de guitarra ou o backing vocal, mais do que o tipo de microfone que você usou e até mais que a masterização.

Um bom engenheiro de mixagem pode fazer uma música soar como se estivesse saltando das caixas de som. É por isso que hoje, no mundo da produção, os engenheiros de mixagem top, como Andrew Scheps e Manny Marroquin, tem status de estrelas de rock.

Traz à tona o melhor da sua performance

Os engenheiros de mixagem têm uma porção de truques para trazer à tona o melhor de uma apresentação. Um bom profissional saberá como fazer os vocais soarem mais poderosos, e, na sua frente, trazer tirar as marcas de respiração da música, se elas existirem, fazer um berro ficar insano de bom em vez de insano de bobo, aumentar a potência da bateria, juntar todos os sons, para ficarem mais coesos e sincronizados e transformar instrumentos comuns ou frases vocais em doce para os ouvidos.

Uma boa mixagem pode melhorar significativamente sua performance. Uma mixagem ruim, pelo outro lado, pode transformar uma bons vocais em algo pequeno e enterrado, um desempenho ótimo do baterista em um bumbo tonto e uma música competente numa bagunceira inútil.

Poupe sua música da etiqueta “demo”

A maioria de nós ouviu um sem-número de músicas no correr da nossa vida. Porque essas músicas foram produzidas por profissionais, e nossos ouvidos e cérebros estão acostumados a ouvir coisas muito bem feitas, tudo o que não for profissional vai parecer uma faixa demo. Pense na última vez que você viu um filme feito por alunos de cinema. Você rolou os olhos? Se a resposta for sim, é provável que a produção bem polida de Hollywood tenha feito você esperar mais daquele filme. Isso é verdade especialmente para o mercado da música, para gente como agentes, produtores, empresários, editores de rádio, blogueiros de música e supervisores musicais de canais de TV, que conscientemente ou não julgam a música também pelo nível de profissionalismo que ela parece ter. Uma mixagem medíocre pode fazer até uma boa faixa ficar com cara de demo, e demos não chegam mais a muitos lugares.

O custo de produzir uma música profissionalmente, incluindo gravação, mixagem e masterização vai de umas centenas de reais a alguns milhares. Isso é só uma fração do que costumava custar anos atrás.

Para muitos músicos que produzem suas próprias faixas, mixagem é o único momento em que entregam sua música nas mãoes de outro profissional. Se você é como a maioria dos músicos, provavelmente gastou anos ensaiando, cantando e tocando, semanas e meses escrevendo novas músicas, semanas gravando-as, dias inteiros trabalhando na arte do álbum e semanas montando conceitos e gravando vídeos.

Você investiu tanto do seu tempo e amor em cada música. Já que a música significa tanto para você, entregá-la nas mãos de um engenheiro de mixagem parece ser uma boa ideia.

 

5 Comentários

  1. nolanleve@gmail.com'
    by Nolan Leve on janeiro 10, 2016  13:27 Responder

    Não existe engenharia de áudio ou mixagem.O MEC não reconhece e não precisamos desse titulo pomposo para classificar nossos técnicos profissionais de som.Temos deles em profusão e excelentes.Coisa sem ética usar o que não existe .Roupa de pavão

    • by Marcos Chomen on janeiro 11, 2016  18:59 Responder

      Nolan, infelizmente não termos cursos universitários para engenheiros de som, que abrange mais do que a mixagem. O conteúdo deste curso vai desde o estudo de acústica (por exemplo como distribuir fontes de som em estádio para um grande show) até onda sonorasentre outros temas ligados a área. As vezes não é roupa de pavão, é necessário saber a teoria para aplicar na prática. Obrigado pelo comentário. Abs.

      • sitemanorik@hotmail.com'
        by henrique on janeiro 14, 2016  01:02 Responder

        Existe sim…IAV - Instituto de Audio e video…
        Porém caro cada curso separadamente…um pede o outro...
        Isso é como curso disponivel em sp, reconhecido pelo MEC nao sei…mais muito falado…
        E tambem acredito que a experiencia de anos influencia sim…
        post interessante gostei…
        tem que ver custos rsrsr ?

  2. ph_315@hotmail.com'
    by Pedro on janeiro 29, 2016  12:33 Responder

    Oi pessoal. A arte da mixagem pra mim é a mais importante porque ela que dá a cara da musica, engraçado é que as mixagens feitas aqui no Brasil e as de fora, tem grandes diferenças, eu consigo identifica-las facilmente. Um grande engenheiro de mixagem que admiro e adoraria trabalhar com ele é Serban Ghenea. Como conseguiria enviar pra ele minhas canções e etc.. (vai que um dia né)..ahhaha.. Abraço

  3. Cavalierdoro@gmail.com'
    by Filipe Cavalieri on maio 14, 2017  12:34 Responder

    A mixagem é deixar o arranjo ser ouvido. Acontecer.

Comente

Seus email não será publicado.